A crise climática está matando as sequoias, e árvores de Josué na Califórnia

“Elas são o que os cientistas chamam de mega flora carismática, e existem poucas árvores em qualquer lugar mais carismáticas do que as três espécies mais famosas da Califórnia. Pessoas viajam de todo o mundo simplesmente para caminhar entre elas maravilhadas. A sequoia gigante. A árvore de Josué. A sequoia da costa. Elas são asContinuar lendo “A crise climática está matando as sequoias, e árvores de Josué na Califórnia”

“Se o mecanismo da terra como um todo é bom, então, toda parte que a compõe é boa”

Rand Aldo Leopold (1887-1948) é desconhecido no Brasil. Ele criou, nos anos 1940, a distinção entre “preservação” e “conservação” da natureza. Preservação significa o não uso, ou apenas o uso contemplativo da natureza. Conservação, implica o uso racional da natureza; a natureza sendo considerada como fonte de recursos naturais renováveis. Nos EUA, já houve presidentesContinuar lendo ““Se o mecanismo da terra como um todo é bom, então, toda parte que a compõe é boa””

O budismo e a visão ambiental

“A educação tem a ver com o processo do viver, não com a preparação para uma vida futura.” (John Dewey) O budismo não apresenta “verdades”, ao contrário de tantas religiões. Oferece um “veículo” para a “continuidade”, considerando que é impossível que alguma coisa acabe; ela muda, sempre. Nada é estável, tudo é impermanente e estáContinuar lendo “O budismo e a visão ambiental”

Fitopesticidas

O Nim tem a capacidade (sementes, frutos, folhas e cascas) de fornecer substâncias para o desenvolvimento de produtos contra a manifestação de pragas. Seus extratos impedem ou inibem a atividade alimentar dos insetos. É recomendado, principalmente, para o controle de moscas-brancas, tripes (“verme da madeira”), cochonilhas, lagartas e besouros. É biodegradável e não tóxico paraContinuar lendo “Fitopesticidas”

“Apenas as virtudes que admitem excessos”

As pretensões da pobreza, de Thomas Carew “Miserável pobre diabo, és por demais presumido Ao reivindicares um lugar no céu, na altura, Só porque tua humilde choça, ou tua tina, Acalenta alguma virtude indolente ou farisaica Sob o sol barato ou pelas fontes sombrias Com raízes e hortaliças; onde tua mão direita, Arrancando as paixõesContinuar lendo ““Apenas as virtudes que admitem excessos””

Progresso. Um evangelho?

O progresso tecnocientífico, norteado pela razão e experimentação, e pautado pelo valor da eficiência, provoca diversos efeitos ambivalentes na sociedade e na biosfera advindos da relação de efeito mútuo existente entre as criações humanas – dentre elas a técnica – e a vida social e o meio ambiente. Como fazer o ‘progresso’ incluir a defesaContinuar lendo “Progresso. Um evangelho?”

Mottainai: um estilo contra o desperdício

Mottainai representa um estilo de vida com base no budismo. O termo, muito mais do que uma palavra, exprime um pensamento no qual devemos utilizar qualquer recurso por todo o tempo possível de sua vida útil. “Justamente por não significar uma palavra, mas uma forma de viver, o termo não tem uma tradução literal. PorémContinuar lendo “Mottainai: um estilo contra o desperdício”

“A Amazônia já era!”

Nos anos 70, a ditadura militar anunciava nas principais revistas da época que o “Inferno Verde” seria integrado. O inferno era a Amazônia. Para garantir a ‘segurança nacional’ – o mantra que tudo justificaria – a região precisava ser ocupada (antes, naturalmente, desmatada e seus ocupantes originais cederiam espaço aos novos desbravadores). Era necessário “protegerContinuar lendo ““A Amazônia já era!””

Pioneiro, esquecido

João de Vasconcelos Sobrinho (1908-1989), pernambucano: a ele deve-se o mérito do pioneirismo nos estudos sobre ecologia (concomitantemente com Lutzenberger) e desertificação no Brasil. É considerado uma das maiores autoridades em ecologia da América Latina. Foi um dos fundadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (onde criou a disciplina “Ecologia Conservacionista”), do Instituto Brasileiro deContinuar lendo “Pioneiro, esquecido”

Carta a um pastor evangélico (Edward O. Wilson)

“Prezado Pastor: (…) Escrevo-lhe agora para consultá-lo e pedir-lhe ajuda. É claro que, ao fazer isso, não vejo como evitar as diferenças fundamentais entre nossas visões de mundo. O senhor interpreta literalmente a Sagrada Escritura cristã. O senhor rejeita a conclusão da ciência de que a humanidade evoluiu a partir de formas inferiores. O senhorContinuar lendo “Carta a um pastor evangélico (Edward O. Wilson)”