Muita gente!

A população mundial é cerca de 7,952 bilhões, hoje, 07/06/2022, segundo o site Worldometers.info. Praticamente 8 bilhões de pessoas! “Há 10.000 anos éramos apenas um milhão. Em 1800, faz pouco mais de 200 anos, já éramos um bilhão. Há 50, por volta de 1960, chegamos a 3,5 bilhões. Atualmente, superamos 7,5 bilhões. Em 2050, nossosContinuar lendo “Muita gente!”

“Invejo a burrice, porque é eterna.” (Nelson Rodrigues)

Como destruir um planeta sem fazer muito esforço. Este é um capítulo de um livro de Noam Chomsky. Um historiador do futuro – se houver – perceberá que neste nosso mundo, existem os que estão tentando com afinco fazer algo em relação às ameaças que nos cercam e outros que estão agindo para intensificá-las. OContinuar lendo ““Invejo a burrice, porque é eterna.” (Nelson Rodrigues)”

“O homem criou a morte” (Yeats)

O mundo gira e não nos damos conta. No entanto, às vezes, um pequeno desequilíbrio nos derruba. O equilíbrio (do mundo e no mundo) é algo dinâmico, como numa esteira rolante. Caso sua velocidade seja acelerada de forma súbita ou constantemente, provavelmente cairemos. Este é estágio em que a humanidade se encontra atualmente: tudo mudando,Continuar lendo ““O homem criou a morte” (Yeats)”

Poderemos escolher como será nosso fim?

Inebriados, o capitalismo selvagem nos leva à destruição. Antes do fim da nossa espécie, porém, teremos o prazer de devastar o ambiente, como a um inimigo; revirar todas as reservas até deixar as entranhas da Terra à mostra; cavucar o solo marinho à busca de minérios; deixar nossa marca geológica (lixo) em todos os espaços;Continuar lendo “Poderemos escolher como será nosso fim?”

“Uma mulher histérica com visão alarmista do futuro”

“O ser humano perdeu a capacidade de prever e de prevenir. Ele acabará destruindo a Terra”, disse Albert Schweitzer. Neste ano, alguns comemoram os 60 anos da publicação de Primavera Silenciosa, de Rachel Carson. Não é um livro qualquer; é um marco na consciência ambiental. Os festejos por aqui se limitaram à aprovação em regimeContinuar lendo ““Uma mulher histérica com visão alarmista do futuro””

Que mundo queremos?

“A política é a arte de procurar problemas, encontrá-los, diagnosticá-los erroneamente e depois aplicar os remédios errados”, brincava (?) Groucho Marx. Sei que há assuntos que não despertam interesse da maioria, são desagradáveis. Poderia fugir deles. Mas, alguém precisa ser chato. São tantas as pragas no nosso jardim: crescimento econômico engasgando e potencial risco deContinuar lendo “Que mundo queremos?”

Não há garantias

A “digitalização”, usemos este termo, se imiscui em tudo, convidada ou não. Ela, através de suas manifestações (AI, robótica, automação em geral, conectividades via redes sociais, VR, AR, XR, IoT etc.) dominará nossos ambientes no trabalho, na sociedade, no governo – na vida. Além de sua influência direta, ela permite a alavancagem de tecnologias nasContinuar lendo “Não há garantias”

Solo

“Hoje sorriem-me a terra e os céus;sinto no fundo da minha alma o sol;eu hoje vi-a…, vi-a e ela olhou-me…Creio hoje em Deus!” (Gustavo Adolfo Bécquer, 1836-1870) Há um lema repetido por Ana Primavesi: “Solo sadio, planta sadia, ser humano sadio”. Sua preocupação era manter a “terra viva”, para que ela possa gerar mais vida:Continuar lendo “Solo”

Eterna Primavesi

Ana Primavesi era agrônoma. Batalhou pela inclusão do aspecto biológico, em especial do solo, com visão holística, sistêmica. Tinha uma visão ecológica ou agroecológica de manejo, sendo a responsável pelo avanço nesses estudos. Foi uma das pioneiras na preservação do solo e recuperação de áreas degradadas, abordando o manejo do solo de maneira integrada comContinuar lendo “Eterna Primavesi”

A teia da natureza

Dersu Uzala era um caçador indígena que vivia nos confins da Sibéria. Dersu conhecia, compreendia e amava todas as formas e manifestações da vida. Ele falava aos animais, à floresta, às nuvens e ao sol, ao fogo e à noite. Sua existência nos foi trazida pelo livro do explorador russo Vladimir Arseniev, que o conheceuContinuar lendo “A teia da natureza”