O martírio dos sete irmãos

Em 2 Macabeus, conta-se a história de uma mãe que presenciou o martírio e morte de seus sete filhos. Não há registro de seu nome. O rei que ordenou essas mortes foi Antíoco IV Epifânio, da dinastia Selêucida, que governou a Síria entre 175 a.C. e 164 a.C.  Ele era descendente de Seleuco, um dosContinuar lendo “O martírio dos sete irmãos”

Os dilemas de Frei Vicente

“O dia em que o capitão-mor Pedro Álvares Cabral levantou a cruz, era 3 de maio, quando se celebra a invenção da Santa Cruz, em que Cristo Nosso Redentor morreu por nós, e por esta causa pôs nome à terra, que havia descoberta, de Santa Cruz, e por este nome foi conhecida muitos anos: porémContinuar lendo “Os dilemas de Frei Vicente”

Similitudes

A MENTIRA OFICIALIZADA (…) O governo brasileiro por intermédio do seu primeiro magistrado não se peja de mentir, de ilaquear a boa-fé do povo, ministrando-lhe informações falsas, revoltantemente mentirosas, quando os próprios fatos ao alcance de todos os cidadãos se encarregam de dar-lhe solene desmentido. (…)” O texto acima não é de nossos dias; éContinuar lendo “Similitudes”

Judaísmo no Brasil

A Sinagoga Kahal Kadosh Zur Israel (Comunidade Sagrada Rochedo de Israel), em Recife, fundada em 1636, foi a primeira comunidade judaica em território português na América do Sul. A região, à época, estava sob domínio holandês, que garantia liberdade religiosa e protegia judeus e cristãos-novos das restrições impostas por Portugal. Estima-se que cerca de 1.500Continuar lendo “Judaísmo no Brasil”

“… Fui feita para objetivos maiores e ando com graça e estilo”

“Quando anoitecer espera pela minha visitapois a noite é quem mais guarda segredo.O que sinto por ti é tal que se fosse o Sol, não nascia,e a lua cheia não se erguia e as estrelas deixavam de girar.” (Wallada Bint Mustakfi) (tradução de Nádia Bentahar e André Simões) Wallada Bint Mustakfi era filha de MuhammadContinuar lendo ““… Fui feita para objetivos maiores e ando com graça e estilo””

“… alcançaremos a verdadeira igualdade social quando conseguirmos ser tão tolas, ineficazes e malvadas como alguns homens o são sem que sejamos recordadas especialmente por isso.” (Rosa Montero)

Maria Lejárraga. Conheces? Poucos a conhecem. Mas, seu marido, Gregório Sierra, foi um dos mais famosos dramaturgos espanhóis no início do século passado. Porém, tudo é criação dela. Ele só assinava. Ela, além de dramaturga, escreveu libretos e numerosas zarzuelas. E, foi ensaísta, feminista, socialista e deputada (uma das primeiras) durante a República. Morreu emContinuar lendo ““… alcançaremos a verdadeira igualdade social quando conseguirmos ser tão tolas, ineficazes e malvadas como alguns homens o são sem que sejamos recordadas especialmente por isso.” (Rosa Montero)”

“Punge-me sempre, cada vez mais a dúvida: o brasileiro é um povo em formação ou em dissolução?” (Capistrano de Abreu)

Capistrano de Abreu (1853-1927) era cearense e foi viver, às próprias custas, no Rio, aos 21 anos. Ao envelhecer, assistia a uma profunda crise dos valores e da linguagem pública. Comungava com José Bonifácio, que morrera em 1838, um amargor pela condução do país. Para Bonifácio, “no Brasil, o real vai além do possível.” “EsqueçaContinuar lendo ““Punge-me sempre, cada vez mais a dúvida: o brasileiro é um povo em formação ou em dissolução?” (Capistrano de Abreu)”

Brasil

“A terra em si, Senhor excelentíssimo, é um paraíso; aqui mesmo são tantas as produções que eu não sei a que lado me volte,” (Alexandre Rodrigues Ferreira, 1783) Quando foi ‘descoberto’, o Brasil não era o Brasil, claro. Era uma grande porção de terra com grande potencial exploratório. Até hoje. A descoberta foi, oficialmente, atribuídaContinuar lendo “Brasil”

Inventividade

“Cunha Sales, inventor do Pantheon Ceroplástico, teve certamente a idéia de só gastar cera com bons defuntos; mas acaba de aprender que a podia gastar com piores.Não falo dos propriamente mortos, mas dos vivos, a quem quis ensinar história por meio de uma vista de pessoas históricas. Não podendo fazê-lo de graça, estabeleceu uma entrada,Continuar lendo “Inventividade”

“A dor é um século, a morte um momento” (Gresset)

Falemos um pouco sobre escravidão, essa coisa “benéfica para os descendentes”, na opinião de quem ocupa a Fundação Palmares, criada para “promover a preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira”. Escravidão é história a ser apagada, como convém ao negaciosismo vigente. Foram 338 anos de sofrimentos,Continuar lendo ““A dor é um século, a morte um momento” (Gresset)”