Deu no que deu …

O Positivismo exerceu uma enorme influência neste país. Todos já desconfiam disso, a partir da divisa “Ordem e Progresso” na nossa bandeira. Este lema não foi colocado lá à toa. A filosofia positiva de Auguste Comte (1798-1857) diz que as ‘leis’ regem tudo. Tirem o foco das ‘causas’ dos fenômenos (Deus ou natureza); isso tantoContinuar lendo “Deu no que deu …”

“Não é circo. É a lei que monta o espetáculo”

Num 13 de janeiro, em 1825, Frei Caneca era fuzilado (arcabuzado). Os carrascos haviam se negado a enforca-lo. Como religioso, insistia numa religião ética, que não valorizasse apenas os ritos e cultos. Advogava a necessidade da união entre fé e vida. Contestava uma religião com preocupações meramente dedicadas à manutenção do rebanho de fiéis, apenasContinuar lendo ““Não é circo. É a lei que monta o espetáculo””

Uma comunidade de ‘puritanos’

“Com toda a franqueza, declaramos que nada é claro neste mundo. Apenas tolos e charlatães sabem e conhecem tudo.” (Anton Tchekhov) O americano Lucien Greaves, ex-aluno de neurociência da Universidade de Harvard, fundou o Templo Satânico em 2014. Contaria atualmente com mais de 50 mil membros. Nele, se cultua o diabo. Há várias seitas satânicas: algunsContinuar lendo “Uma comunidade de ‘puritanos’”

Artigo 1º – Todo brasileiro deve ter vergonha na cara.

“Capistrano mergulhara nos estudos históricos não para tirar deles ensinamentos, vulgarização, glória, a perfeição duma obra completa, mas pela avidez de saber, de fartar sua curiosidade peculiar, própria, de se sentir senhor, para gáudio seu, dos segredos do passado. Não havia no seu espírito a menor preocupação com o grande público. Proclamava-se a contragosto membroContinuar lendo “Artigo 1º – Todo brasileiro deve ter vergonha na cara.”

Deuses americanos

“Eu, porque nos demonstraram grande amizade, pois percebi que eram pessoas que melhor se entregariam e converteriam à nossa fé pelo amor e não pela força, dei a algumas delas uns gorros coloridos e umas miçangas … me pareceu que era gente que não possuía praticamente nada. Andavam nus como a mãe lhes deu àContinuar lendo “Deuses americanos”

O político Platão

Quando Platão se aproximava dos quarenta anos, ele visitou vários locais, entre os quais, a cidade-estado de língua grega de Siracusa, na ilha da Sicília. Em sua juventude, Platão havia considerado entrar na turbulenta política de Atenas, mas percebeu que suas reformas, pensadas para a constituição da cidade e nas práticas educacionais eram muito improváveisContinuar lendo “O político Platão”

A arte de ser esposa, dona de casa e dama perfeita

Le Ménagier de Paris é um manual com conselhos dados a uma dona de casa francesa medieval, com receitas culinárias jardinagem e convivência conjugal. Escrito em 1393 por um cavalheiro para educar sua esposa, foi publicado pela primeira vez pelo barão Jérôme Pichon em 1846. Um bondoso marido teria se sensibilizado com a inexperiência deContinuar lendo “A arte de ser esposa, dona de casa e dama perfeita”

A guerra é uma doença

Durante a Segunda Guerra, Saint-Exupéry serviu como piloto de reconhecimento nas Forças Armadas francesas. Antes, havia sido piloto civil, quando sofreu dois acidentes quase fatais. O primeiro, em 1935, na rota Paris-Saigon, seu avião cai no deserto da Líbia. Ele e o mecânico foram encontrados, quase mortos de sede por beduínos. Noutro, em 1938, quandoContinuar lendo “A guerra é uma doença”

Desafiou a lógica da guerra

Março de 1946. Franz Stigler dirigia-se a uma olaria em Straubing, sul da Alemanha. Procurava trabalho. Havia uma longa fila de trabalhadores em frente à construção. Conforme Franz se aproximava, eles observavam suas botas em um julgamento silencioso. Eles sabiam, a partir das botas, que ele tinha sido um piloto de combate e o culpavamContinuar lendo “Desafiou a lógica da guerra”

Cortesã e consorte

Influência, relacionamentos, interesses, dinheiro, poder … Pamela Digby Churchill Hayward Harriman, ou Pam Churchill, era uma astuta networker, antes de esse termo ter sido criado. Sua lista de contatos era composta da elite da sociedade americana e das pessoas mais ricas do mundo. Filha de um barão inglês e divorciada de Randolph Churchill – apostadorContinuar lendo “Cortesã e consorte”