“Deus, ou seja, a Natureza”

Para Espinoza, Deus não criou o mundo nem está fora do mundo: ele é o próprio universo. Por isso, dizia “Deus sive Natura” (Deus ou Natureza). Deus seria imanente, está inseparavelmente contido e implicado em toda a realidade. A ideia de um Deus raivoso, que precisava ser cultuado e agradado, seria uma superstição. Essa imagemContinuar lendo ““Deus, ou seja, a Natureza””

Seja bom, não neutro!

“Hei de cantar as bondades de Ahura Mazda, falarei com gosto da Boa Mente e com reverência sobre a vida dos retos. E, assim fazendo, mencionarei os dois conceitos que preocupam os sábios. Ouça com seus ouvidos aos melhores conselhos reflita sobre eles com julgamento iluminado, deixe que cada um possa escolher seus credos. ComContinuar lendo “Seja bom, não neutro!”

“Eu acredito que a educação deve ser concebida como uma reconstrução contínua, que o processo e o objetivo da educação são iguais.” (John Dewey)

Tara Westover obteve, em 2014, o título de doutora aos 27 anos de idade, na Universidade de Cambridge – uma das mais prestigiadas do mundo. Não é fácil, é para poucos, mas, o estranho é que ela não teve qualquer educação formal na infância ou feito o ensino médio. Tara era a mais nova entreContinuar lendo ““Eu acredito que a educação deve ser concebida como uma reconstrução contínua, que o processo e o objetivo da educação são iguais.” (John Dewey)”

Percepções extra-sensoriais

Em janeiro de 1874, três cientistas materialistas e uma romancista compareceram a uma sessão de espiritismo, muito em voga no final do século. Eram Charles Darwin, seu irmão Erasmus, seu primo Francis Galton, um dos fundadores da psicologia (e também da eugenia) e, George Eliot. Queriam impedir a ascensão do espiritismo, que viam como possívelContinuar lendo “Percepções extra-sensoriais”

O direito à propriedade privada deve ser subordinado “ao destino universal dos bens da terra e, consequentemente, o direito de todos ao seu uso”

No dia 3 de outubro, o papa Francisco divulgou sua encíclica Fratelli Tutti, sobre a fraternidade e a amizade social. Ela é inspirada em São Francisco, que morreu num 3 de outubro, 794 anos atrás. “São Francisco, que se sentia irmão do sol, do mar e do vento, sentia-se ainda mais unido aos que eramContinuar lendo “O direito à propriedade privada deve ser subordinado “ao destino universal dos bens da terra e, consequentemente, o direito de todos ao seu uso””

O que o Renascimento deve à China

Zhu Di foi o terceiro imperador da dinastia Ming; reinou de 1402 a 1424. Ele inicialmente aceitou a nomeação que seu pai fizera para sua sucessão: seu irmão mais velho, Zhu Biao e, depois, seu sobrinho Zhu Yunwen como príncipe herdeiro. Entretanto, quando Zhu Yunwen ascendeu ao trono como imperador de Jianwen começou a executarContinuar lendo “O que o Renascimento deve à China”

Unidos pela esperança e pelo ódio

Erich Fromm era psicanalista. Viveu até 1980. Suas ideias sobre psicologia das religiões deixaram muitos desconfortáveis. Dizia que Deus – consultado ou não – é sempre o aliado dos governantes. Estes, quando expostos à crítica, valem-se de Deus, que em virtude de sua irrealidade despreza as críticas e pela sua autoridade confirma a autoridade dosContinuar lendo “Unidos pela esperança e pelo ódio”

Arlequim

A primeira representação de Arlequim foi no século XVII, trazida pela ‘comedia dell’arte‘, onde ele seduz e toma a Colombina do Pierrot. Pierrot representava um bobo, sendo sempre enrolado, mas mesmo assim confiando nas pessoas. Também era apresentado como sendo lunático, distante e inconsciente da realidade. Colombina aparecia como uma serva e é caracterizada comoContinuar lendo “Arlequim”

“Desde que Adão era cadete”

Corrupção, em suas várias formas, é coisa antiga. Nalguns locais, com bom clima, ela produz safras diárias. Ao acordar, ligo o noticiário para saber quem foi preso. À noite, descubro os que foram soltos. Hoje, 29 de setembro, a ação da PF foi no Pará: o STJ vê  ‘robustos indícios da anuência e participação’ doContinuar lendo ““Desde que Adão era cadete””

Hipocrisia e a mentira entronada

“A convivência entre os seres humanos só poderá, pois, ser considerada bem constituída, fecunda e conforme à dignidade humana, quando fundada sobre a verdade, como adverte o apóstolo Paulo: ‘Abandonai a mentira e falai a verdade cada um ao seu próximo, porque somos membros uns dos outros’ (Ef 4,25) Este é o início do capítulo 35Continuar lendo “Hipocrisia e a mentira entronada”