Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora

“Nesta última noite, a Câmara Superior do Parlamento foi inspecionada por Sir Thomas Knevett, e ali foi capturado um certo Johnson (Guy Fawkes), empregado do Sr. Thomas Percy, que pusera 36 barris de pólvora na galeria arqueada debaixo da Câmara com o propósito de explodir o rei e toda a comitiva, quando ali estivessem reunidos.Continuar lendo “Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora”

Legenda Aurea

Jacobus de Voragine (1230-1298) foi um cronista italiano e arcebispo de Gênova. Ele foi o autor, ou mais precisamente o compilador, da Legenda Aurea, a Lenda de Ouro, uma coleção das vidas lendárias dos santos maiores da igreja medieval, uma das obras religiosas mais populares da Idade Média. Nessas lendas, o mais empolgante e dramáticoContinuar lendo “Legenda Aurea”

“Quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”

Jesus contou esta parábola: “Dois homens subiram ao templo para orar. Um era fariseu, o outro publicano. O fariseu, de pé, orava assim em seu íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros, ladrões, desonestos, adúlteros, nem como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e pago o dízimo de toda aContinuar lendo ““Quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado””

Judas merece uma chance?

“Sentido da minha obra: Tantos homens privados da graça? Como viver sem a graça? Devemos nos dedicar a isso E fazer o que o cristianismo nunca fez: ocupar-nos dos malditos.” (Albert Camus) Hoje, sábado de Aleluia, há a tradição da Malhação de Judas, trazida pelos portugueses. Costuma-se colocar máscaras ou nomes de políticos num bonecoContinuar lendo “Judas merece uma chance?”

Estelionato da fé

Sinceramente, fico atônito ao ver personagens conhecidas que exploram a credulidade dos desesperados – emocional, econômica ou socialmente – tentando extrair-lhes seus sustentos em nome de Cristo! Isso me parece abusivo, mas permitimos em nome da liberdade de religião. Claro que deve haver a opção por vertentes religiosas. Mas, espoliação, não! Explorar a desesperança, emContinuar lendo “Estelionato da fé”

Sobre milagres

Milagre é o que nos deixa “maravilhados”. Desejar e conseguir uma cura para doenças é um milagre? Pode ser, se for algo com poucas possibilidades. Tudo o que nos surpreende – pela superação de dificuldades, baixa probabilidade, fatos inusitados, mudanças no limite – poderia ser visto como miraculoso, a rigor. Neste sentido, o Brasil precisaContinuar lendo “Sobre milagres”

Tábua de Esmeralda

“A coisa mais bonita que podemos experimentar é o misterioso. Ele é a fonte de toda ciência e arte verdadeiras. Aquele para quem a emoção é uma estranha, que não consegue mais se maravilhar por um momento e se envolver com o fascínio, é como o morto; os seus olhos estão fechados.” (Einstein) A TábuaContinuar lendo “Tábua de Esmeralda”

O Jesus pobre

Muitos já se perguntaram: por que Jesus nasceu entre os pobres, podendo escolher nascer num palácio? Em 2 Coríntios, 8-9, Paulo diz: “… por causa de vós se fez pobre, embora fosse rico, para vos enriquecer com a sua pobreza.“, na versão da Bíblia de Jerusalém. Na King James, a redação é ligeiramente modificada: “…Continuar lendo “O Jesus pobre”

O Papa Sorriso

Ao cair da noite de 28 de setembro de 1978, Albino Luciani considerava que dera os primeiros passos para a realização de seu sonho extraordinário. Às 9h30 da noite fechou a porta de seu quarto e o sonho acabou. Ele estava há 33 dias no trono papal, como João Paulo I. O Vaticano apressou-se emContinuar lendo “O Papa Sorriso”

Teologia natural

Teologia Natural é uma expressão cunhada por Adam Gifford, um estudioso de Espinoza. Deus teria nos concedido dois livros nos quais suas ações estariam registradas. Um seria a Bíblia e o outro, o Livro da Natureza. A Teologia Natural seria a leitura da mente de Deus conforme ela se expressa nas obras da natureza. DaContinuar lendo “Teologia natural”