Existir

Contardo Calligaris morreu em março deste ano. Um dia antes da sua morte, numa conversa com Maria Homem, sua companheira, a pergunta séria: “O que vai ser de mim sem você?” Ele, consciente, olhou nos seus olhos e disse: “Vai ser o que você quiser”. Esse era seu princípio: crie sua vida! Quantos estão, nesteContinuar lendo “Existir”

Educação, cultura e sociologia

Aleksandr Luria (1902-1977), neurologista russo, via os pensamentos simbólico e narrativo como fundadores do processo de hominização. Oliver Sacks (1933-2015) era um de seus seguidores. Luria foi um dos criadores da psicologia cultural-histórica, que enfatiza o papel mediador da cultura, particularmente da linguagem, no desenvolvimento de funções mentais superiores. Criar narrativas, dizia, significou e significaContinuar lendo “Educação, cultura e sociologia”

Nosso cérebro é uma fábrica de ilusões

“De alguma forma, dentro de nossos cérebros, a atividade combinada de bilhões de neurônios, cada um deles uma minúscula máquina biológica, está dando origem a uma experiência consciente”, diz o neurocientista Anil Seth. Parece óbvia a afirmação acima. O problema está em definir “experiência consciente”. Os budistas, muito antes do filme Matrix, vêem afirmando queContinuar lendo “Nosso cérebro é uma fábrica de ilusões”

Consciência, ainda desconhecida

Em livro a ser publicado no inicio de 2022, David Chalmers afirma que a realidade virtual é uma realidade genuína. Para ele, os mundos virtuais não são mundos de segunda classe e que podemos viver uma vida “significativa” na realidade virtual. Aliás, podemos até já estarmos num mundo virtual! Ele levanta muitas questões, nunca empoeiradas,Continuar lendo “Consciência, ainda desconhecida”

Pai contra mãe

Machado de Assis nasceu no Rio de Janeiro, filho de um mulato e uma lavadeira portuguesa. Não gostava, porém, de abordar questões escravagistas. Em 1906, 18 anos após o fim da escravidão, entretanto, publica o conto “Pai Contra Mãe”, no livro “Relíquias da Casa Velha”. Neste conto a escravidão é o ambiente usado para destacarContinuar lendo “Pai contra mãe”

Todo aprendizado provém do erro

Como aprender sem tentar e, correr o risco de errar? O sistema educacional em geral não aceita erros, só acertos. Provas, exames, notas … o tormento dos alunos e, traumas dos adultos. Mensagem errada. Reprodução de saberes requer apenas memorização e significa a perpetuação do já estabelecido; o louvor ao estático. O mundo nada temContinuar lendo “Todo aprendizado provém do erro”

Tenho que decidir?

Há quem pague para que decidam por si. Aliás, pagamos todos altos impostos, para que nossos “representantes” nos representem, isto é, decidam por nós aquilo que é de seus interesses. É, pensar não é fácil; por isso desenvolvemos hábitos. Os marqueteiros, os criadores de hype, os influenciadores, desinteressadamente, nos ajudam a escolher o pré-escolhido. ConheçoContinuar lendo “Tenho que decidir?”

“Hoje, um número cada vez maior de pessoas está aprendendo que é preciso simplificar, e não complicar.” (John Sculley)

Robert Updegraff via a vida não como uma sucessão de batalhas, mas como um campo perene de cultivo e cuidados. E, que os problemas que encontramos pela frente, se encarados como desafios de crescimento, garantem nosso progresso pessoal. “A felicidade deve ser encontrada ao longo do caminho, não no fim da estrada, pois então aContinuar lendo ““Hoje, um número cada vez maior de pessoas está aprendendo que é preciso simplificar, e não complicar.” (John Sculley)”

Medo e Incertezas, por Márcio Kazuo Teramoto

O cenário que vivemos nos dias atuais é desafiador. Tempos incertos e  propícios para que surja um clima de medo. Segundo Napoleon Hill, os medos mais frequentes e poderosos dos seres humanos são os seguintes:- Medo da pobreza Medo da crítica Medo da perda da saúde Medo da perda do amor Medo da velhice MedoContinuar lendo “Medo e Incertezas, por Márcio Kazuo Teramoto”

“Escolha quando atacar”

Está na Netflix. Em curtas lições extraídas das histórias de grandes déspotas, a série “Como se tornar um tirano” mostra que esta opção não é exclusividade para iluminados ou ‘escolhidos’; ao contrário, pessoas comuns podem ser içadas ao topo, deixando-se guiar por seus mais rasteiros instintos e agir obcecadamente. Antecipo os pontos essenciais nessa trajetória.Continuar lendo ““Escolha quando atacar””