Patriarcado

Gerda Lerner fugiu do nazismo em 1939, e radicou-se nos EUA. Aos 40 anos pôde iniciar sua educação superior, após criar os filhos, e obteve o Ph.D. na Universidade de Columbia. Virou referência no estudo da História da Mulher. Para ela, era importante distinguir sexo de gênero: sexo é biológico; gênero é uma definição culturalContinuar lendo “Patriarcado”

Um itinerário

A paraense Eneida de Moraes foi jornalista, escritora, militante política e pesquisadora brasileira. Um pessoa infame (de má fama) por enfrentar regimes autoritários e manter a coragem de defender ideias comunistas. Não defendo suas ideias, claro, mas sua renitência é impressionante: 11 prisões durante o Estado Novo, com direito a torturas, clandestinidade e exílio. “Considero-meContinuar lendo “Um itinerário”

Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora

“Nesta última noite, a Câmara Superior do Parlamento foi inspecionada por Sir Thomas Knevett, e ali foi capturado um certo Johnson (Guy Fawkes), empregado do Sr. Thomas Percy, que pusera 36 barris de pólvora na galeria arqueada debaixo da Câmara com o propósito de explodir o rei e toda a comitiva, quando ali estivessem reunidos.Continuar lendo “Quando acaba a saliva, tem que ter pólvora”

Perpetuação da pobreza

O presidente, com seu olhar especial, só vê quem “aumentou um pouquinho de peso” em função das medidas de distanciamento mas, não vê a mortandade decorrente da pandemia, que aliás, diz que pode resolver esse “problema do vírus em poucos minutos”. Parece ignorar também que, segundo a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e SegurançaContinuar lendo “Perpetuação da pobreza”

Os excluídos

A foto acima, de 1935, traz um jovem que supostamente manteve relações com uma judia, o que era proibido pelos nazistas, carregando um cartaz que diz: “Sou um poluidor da raça (ariana)”. A ideia dessas ações de propaganda era intimidar os que não concordavam com a teoria racial nazista. O que une, num regime autoritário,Continuar lendo “Os excluídos”

“A república está perdida.” (Cícero)

Por que alguns fazem um discurso de “guerra”? “A guerra, principalmente a civil, leva todas as nações, até mesmo aquelas declaradamente mais democráticas, a se tornarem autoritárias e totalitárias.” (John Dewey) “A natureza da guerra não consiste nos combates em si, mas numa reconhecida disposição neste sentido, durante todo o tempo em que não houverContinuar lendo ““A república está perdida.” (Cícero)”

“Escurecer o sol”

Talvez poucos sejam consultados, mas cientistas querem bloquear a luz solar para reduzir o aquecimento global. A ideia de resfriar artificialmente o planeta para reduzir a mudança climática – na verdade, bloquear a luz solar antes que ela aqueça a atmosfera – ganhou um impulso nesta semana, quando as Academias Nacionais de Ciências (NAS) pediramContinuar lendo ““Escurecer o sol””

O terror não se controla

“Se a história passada fosse tudo o que importa no jogo, as pessoas mais ricas seriam os bibliotecários” ironiza Warren Buffett. Ele está certo. O passado só nos é útil se usado como prisma do presente. A história não é um fóssil. Ela é radioativa – emite sinais que podem ser captados. Aliás, os fósseisContinuar lendo “O terror não se controla”

Concentração fundiária

“Precisamos, precisamos esquecer o Brasil! Tão majestoso, tão sem limites, tão despropositado, ele quer repousar de nossos terríveis carinhos. O Brasil não nos quer! Está farto de nós! Nosso Brasil é no outro mundo. Este não é o Brasil. Nenhum Brasil existe. E acaso existirão os brasileiros?” (Trecho de Hino Nacional, de Carlos Drummond deContinuar lendo “Concentração fundiária”

O Brasil que pouco se vê

O Brasil não é fácil de se entender. Para mim, pelo menos. O Brasil produzirá 260 milhões de toneladas de grãos nesta safra e se ufana de garantir a segurança alimentar de um sexto da população mundial, conforme falou o presidente na ONU em setembro do ano passado: “No Brasil, apesar da crise mundial, aContinuar lendo “O Brasil que pouco se vê”