A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil

A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil, e 71% das pessoas assassinadas no país são negras. Mas não há racismo neste país, dizem as autoridades! Só azar por nascer com a cor errada. Os liberais acreditam (querem que acreditemos) que isso é fruto da pobreza e, é-se pobre porque não seContinuar lendo “A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil”

“… como é fácil se deixar levar” (Morin)

“Entramos na era das grandes incertezas”, diz Morin – que no próximo 8 de julho completará insuficientes 100 anos – querendo nos lembrar que nós, e principalmente os governantes, estamos sem bússola. Aliás, as bússolas indicam: “mudemos de rumo”, há precipícios à frente! Essa pandemia poderia nos ensinar alguma coisas sobre a solidariedade, a inteligência,Continuar lendo ““… como é fácil se deixar levar” (Morin)”

“… a distinção entre o bem e o mal é a parte mais fácil do exercício moral.” (Amós Oz)

Jesus disse: ” Perdoa-lhes, não sabem o que fazem”. Não sabem? Somos moralmente imbecis? Mas, muitos, acham que ao nos infligir alguma dor o faz pelo nosso bem! Acham que há um ordenamento “superior” que os guia. Ou que obedecem a leis, ordens, autorizações, que os livram do julgamento moral. São os “moralistas”, os queContinuar lendo ““… a distinção entre o bem e o mal é a parte mais fácil do exercício moral.” (Amós Oz)”

Tenentismo

Pedro Bruno (1888-1949), ao pintar o quadro “A Pátria” queria representá-la como uma construção da nação. Requereria calma, serenidade, colaboração e persistência. União em torno de um propósito. Mas, depois, se não se tomar cuidado, alguém se apropria. Agora, por exemplo, há um grupo que se julga porta-bandeira, único defensor dos valores pátrios. Não háContinuar lendo “Tenentismo”

“Paranoia é a patologia dos regimes inseguros e, em especial, das ditaduras.” (Coetzee)

Óssip Mandelstam, quando criança, colecionava pregos. Uma premonição, talvez. Até que tomaram todos os seus pregos, colecionados com capricho, para encaixotarem o que quer que fosse. Ele foi um dos maiores poetas e escritores do período soviético. Não gostava de rememorar lembranças visuais (“Minha memória não é amorosa, mas hostil …”), só as sonoras, auditivasContinuar lendo ““Paranoia é a patologia dos regimes inseguros e, em especial, das ditaduras.” (Coetzee)”

Educação do atraso

Educação não é prioridade por aqui. Neste governo tivemos um ministro que durou três meses, o Breve; depois, um que imaginava que assumira o ministério da Propaganda, e agora um terceiro – acho que chama-se Ribeiro, abaixo. “A crise da Educação no Brasil não é uma crise; é um projeto“, constatava outro Ribeiro, o Darcy.Continuar lendo “Educação do atraso”

Homeschooling: esse debate interessa a todos

Nada é mais presente do que a ausência sentida. Algo, também, pode estar ausente mesmo presente. Da mesma forma, ter não significa usufruir e, não ter não significa necessariamente falta. Esse devaneio é para chegar no tema Educação Domiciliar, ou homeschooling, conforme o referencial americano. Sempre defendi aqui o direito de pais poderem optar pelaContinuar lendo “Homeschooling: esse debate interessa a todos”

O Brasil está na vanguarda do atraso (Marcelo Madureira)

“O Brasil não tem problemas, só soluções adiadas”, dizia Luís da Câmara Cascudo (1898-1996). O humorista Marcelo Madureira, bolsonarista de carteirinha, inteligente, “percebeu” que o voto impresso para as eleições de 2022, pauta defendida pelo presidente, seria uma “volta ao século XVIII”. O futuro está sempre uma volta atrás, por aqui. O Brasil é umContinuar lendo “O Brasil está na vanguarda do atraso (Marcelo Madureira)”

Um pacto fáustico

Paulo Guedes disse, há dois dias, que a agenda liberal encolheu em razão de circunstâncias políticas e considerou que o grau de adesão do presidente à agenda econômica caiu de 99% para 65%. É uma surpresa isso. Os 65%, claro. Paulo Guedes continua vivendo o mito da caverna. Acredita nas sombras. O mercado, em especialContinuar lendo “Um pacto fáustico”

Quem é o nosso Spiritus Rector?

Alfred Rosenberg foi um dos fundadores do Partido Nazista e era considerado o pai do nacional-socialismo pelo próprio Hitler. Foi, ainda, o principal ideólogo do Holocausto. Era o Spiritus Rector, o guia intelectual da Alemanha nacional-socialista. Acreditava de pés juntos na supremacia branca, em especial dos alemães e dos escandinavos – negros e judeus seriamContinuar lendo “Quem é o nosso Spiritus Rector?”