“Quem é quem é?”

“Aonde quer que eu vá, descubro que um poeta esteve lá antes de mim.” (Sigmund Freud) Como nos comportaríamos se tivéssemos o manto da invisibilidade, se pudéssemos escolher ser ou não visto? Como se possuíssemos o anel de Giges, conforme a fábula contada por Glauco, irmão mais velho de Platão, na República: “… debruçando-se para oContinuar lendo ““Quem é quem é?””

A visão mágica do mundo

O partido Nacional Socialista Alemão, além do estilo militarista prussiano, tinha uma dimensão messiânica, baseada na raça – sustentada, supostamente, por crenças esotéricas. Pregava uma tentativa mágica para alterar o mundo. Além da supremacia racial, o objetivo era a criação de uma nova raça de super-homens. Esse novo ser teria um poder ilimitado e venceriaContinuar lendo “A visão mágica do mundo”

Lohengrin

Falei, outro dia, sobre Sêmele, a mãe de Dioniso (https://balaiocaotico.com/2022/03/31/o-que-o-mito-de-dioniso-nos-diz-hoje/). Vimos que a curiosidade de Sêmele em saber se seu amante era realmente Zeus, terminou por fulminá-la. Falaremos, agora, sobre o mito de Lohengrin, que virou uma das mais lindas óperas de Wagner, peça que chegou perto do ideal wagneriano de “obra de arte total”.Continuar lendo “Lohengrin”

O que o mito de Telêmaco nos diz hoje?

Para Homero, um herói se distinguia por sua “excelência” (aretê, em grego, também significando adaptação), tanto no campo de batalha como no uso da palavra. Ulisses (Odisseu, em grego) é um desses heróis, a quem Homero lhe acrescenta a “astúcia”. Ele sabia que a esperança (quando muito desejada) é irmã gêmea da imprevidência, daí apostouContinuar lendo “O que o mito de Telêmaco nos diz hoje?”

O que o mito de Dioniso nos diz hoje?

A população mundial cresce sem freios, com a xenofobia entre seus efeitos. O estrangeiro é rejeitado, alegadamente por sua alteridade, além dos aspectos econômicos. O diferente é visto como um perigo ou, pelo menos, requer um esforço para adaptabilidade e convivência. As sociedades têm seus regramentos – reflexo e condicionamento dos costumes – que sãoContinuar lendo “O que o mito de Dioniso nos diz hoje?”

O que o mito de Perseu nos diz hoje?

Perseu é aquele que degolou a Medusa. Ok? Vamos situar essa aventura. O pai de Perseu (Acrísio, rei de Argos), assim como o pai de Édipo (Laio, rei de Tebas), foi avisado que seria assassinado por um descendente, no caso, um neto. Resolveu, então, manter como prisioneira sua linda filha, Dânae. Linda! Zeus notou isso.Continuar lendo “O que o mito de Perseu nos diz hoje?”

Iliberalismo

Já dizia Guimarães Rosa: “Obedecer é mais fácil do que entender”. Esta é, certamente, uma das razões pelas quais muitas pessoas preferem se submeter (do ponto de vista social, psicológico e econômico) a um tirano do que exercitar sua liberdade democrática. Os mais velhos lembram de Erich Fromm e sua preocupação com a liberdade. NumContinuar lendo “Iliberalismo”

As mulheres e a usurpação de seu espaço

“Se as mulheres são melhores do que os homens não poderia dizer. Mas posso dizer que certamente não são piores.” Esta frase é atribuída a Golda Meir. No entanto, elas foram e ainda são discriminadas nos espaços político, econômico e cultural. Admiro a rebeldia dos que não se aceitam subjugar por conta de seu sexoContinuar lendo “As mulheres e a usurpação de seu espaço”

O mito de um mundo melhor

A linguagem é mutante. Palavras podem perder seu significado original, etimológico, e ser postitzada, num deturpado processo de Scrum social. Assim ocorre com a palavra Mito. Virou até reverência política, ao vazio, ao nada, à negação, ao retrocesso, ao ódio, à deterioração. O social é o paroxismo da Complexidade, penso. Imaginem: bilhões de seres, cadaContinuar lendo “O mito de um mundo melhor”

A verdade, reconheces?

Um político decorou um versículo e vive a repeti-lo: “… e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, conforme João 8:32. Não viu o versículo anterior: “Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos”. Isso dá trabalho: requer abandonar a mentira como prática e ter pensamentos e atitudes cristãs. A liberdade a queContinuar lendo “A verdade, reconheces?”