Negrinha, ou a dura lição da desigualdade

O amigo Honório Martins provocou-me: “terias coragem de publicar um texto ‘polêmico’ de Lobato?” Ora, claro. Lobato, embora controverso por algum viés conservador e ao mesmo tempo iconoclasta, foi um luminar nacional e visionário empreendedor. Os brasileiros merecem conhecê-lo, além do revolucionário Sítio do Picapau Amarelo. O conto Negrinha é um pungente retrato da discriminaçãoContinuar lendo “Negrinha, ou a dura lição da desigualdade”

Biodiversidade

Há maneiras mais fáceis de se expor ao ridículo, que não requerem prática, oficina, suor. Maneiras mais simpáticas de pagar mico e dizer olha eu aqui, sou único, me amem por favor.  Porém há quem se preste a esse papel esdrúxulo, como há quem não se vexe de ler e decifrar essas palavras bestas estrebuchando inúteis, cágados com as quatro patasContinuar lendo “Biodiversidade”

Da inutilidade da infância (Rubem Alves)

O pai orgulhoso e sólido olha para o filho saudável e imagina o futuro. – Que é que você vai ser quando crescer?Pergunta inevitável, necessária, previdente, que ninguém questiona. – Ah! Quando eu crescer, acho que vou ser médico!A profissão não importa muito, desde que ela pertença ao rol dos rótulos respeitáveis que um paiContinuar lendo “Da inutilidade da infância (Rubem Alves)”

Fragilidade

Teu nome nas águas tão fundas, tão grandes Perde-se na espuma, castelo de instantes. No aço azul da noite teu firme retrato acorda entre nuvens já desbaratado. A sorte da pedra é tornar-se areia. Mas quem não soluça pensando em teu rosto reduzido a poeira … (Cecília Meireles) A consciência da nossa fragilidade nos fortalece.Continuar lendo “Fragilidade”

“Deixai toda esperança, ó vós que entrais”

Paulino Meira, um amigo, resolveu comentar o filme Event Horizon, de 1997 – nostalgia, talvez. O filme trata da tentativa de resgate da nave do título. Essa nave tem como força um ‘motor de gravidade’, que gera um buraco negro artificial usado para unir dois pontos no espaço-tempo, o que reduziria o tempo de viagensContinuar lendo ““Deixai toda esperança, ó vós que entrais””

Fidelidade e política

Amigos queriam saber minha opinião sobre o “carão” que o rasputin, digo, o escritor Olavo de Carvalho, considerado guru bolsonarista, fez ao presidente e cercanias: “Quer levar um processo de prevaricação da minha parte? Se esse pessoal não consegue derrubar o seu governo, eu derrubo. Continue inativo, continue covarde e eu derrubo essa merda desse seuContinuar lendo “Fidelidade e política”