“Se houver líderes de verdade, e a grande qualidade de um líder autêntico é nem querer dominar, nem querer perpetuar-se, o povo se une para defender os próprios direitos.” (Dom Hélder)

Assisti atentamente à leitura da “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito!” realizada na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Lembrei-me dos idos dos anos 1970, quando, estudantes, corríamos dos cachorros (cães pastores-alemães!) do governador nomeado por suas qualidades de subalternidade – não merece ter o nomeContinuar lendo ““Se houver líderes de verdade, e a grande qualidade de um líder autêntico é nem querer dominar, nem querer perpetuar-se, o povo se une para defender os próprios direitos.” (Dom Hélder)”

Tem gente com fome

Convenhamos, termos gente passando fome atualmente é um escárnio, uma maldade, uma ignorância do que é a vida. Você pode passar toda a sua vida bem nutrido, ignorando a fome que nos rodeia, mas nunca será alimentado de humanidade, a não ser que adquira uma sensibilidade pela dor alheia. A fome é atroz! Só quemContinuar lendo “Tem gente com fome”

A parábola dos talentos

Muitos conhecem a Parábola dos Talentos, enunciada em Mateus 25 e, de forma assemelhada, na Parábola das Dez Minas, em Lucas 19. Sua leitura rápida parece endossar as atuais práticas capitalistas, o sistema bancário, os juros, a infatigável busca dos lucros e a meritocracia. Darei minha opinião, ao final, mas gostaria de conhecer outras. ParábolaContinuar lendo “A parábola dos talentos”

Palavras matam!

“Nós todos temos de lembrar que crimes de ódio são precedidos por discurso de ódio. Todos temos de lembrar que o genocídio dos Tutsis em Ruanda começou com discurso de ódio. O holocausto não começou com as câmaras de gás. Ele começou muito antes, com discurso de ódio. O que temos visto em Mianmar contraContinuar lendo “Palavras matam!”

Iludidos, porém certos!

“O problema, praticamente insolúvel, consiste em não se deixar imbecilizar nem pelo poder dos outros nem pela própria impotência.” (Theodor W. Adorno) Os “cidadãos de bem” que apoiam este governo já devem saber que Adorno era um crítico do fascismo e, portanto, podem parar a leitura por aqui, para não ficarem tentados a pensar. PensarContinuar lendo “Iludidos, porém certos!”

A luta das mulheres

Por que a humanidade, em vez de entrar em um estado verdadeiramente humano, está se afundando em uma nova espécie de barbárie, perguntavam Theodor Adorno e Max Horkheimer, em 1947! Temos visto, passivamente, o retorno do autoritarismo, revestido de preceitos conservadores, que julgávamos superados. Árduas conquistas do passado são derrubadas simplesmente porque alguns grupos seContinuar lendo “A luta das mulheres”

A fome como arma

“Garantimos a segurança alimentar de um sexto da população mundial.” (discurso do presidente na Cúpula das Américas, em 10 de junho 2022). Enquanto isso, cerca de 33 milhões de brasileiros vivem em situação de fome, 14 milhões a mais que em 2020. “O suprimento de alimentos de milhões de ucranianos e milhões de outras pessoasContinuar lendo “A fome como arma”

O homem merece a liberdade?

O Utilitarismo é irmão siamês do Liberalismo. Jeremy Bentham (1748-1832), pai do Utilitarismo, um defensor das ideias de Adam Smith (1723-1790), argumentava que cada pessoa era o melhor juiz de seus próprios lucros, que não deveria haver empecilhos criados pelos governos, inclusive com relação a se emprestar dinheiro a juros (usura), tema em voga naContinuar lendo “O homem merece a liberdade?”

Mulheres, negras, pobres: loucas

Ninguém fala delas. Se não existiram enquanto viviam, como fazê-las presentes? Maio é o mês da Luta Antimanicomial; hoje, 6 de maio, é aniversário de Freud; dia 13 comemora-se a Abolição da Escravidão: tudo se relaciona com a sofrida experiência terrena de Stella do Patrocínio e de Aurora Cursino dos Santos. Hospício foi o destinoContinuar lendo “Mulheres, negras, pobres: loucas”

“Nenhum mal atingirá o justo”

“Ao justo nada acontece de mal, mas os ímpios estão cheios de infelicidade”, disse Salomão em Provérbios 12, 21. Pudera! Vemos sempre e ao redor a injustiça prevalecendo. É necessário um laço de fé para aceitarmos que o justo e o bom predominarão. Embora, a infelicidade habite os ímpios, sim, mesmo que tentem dissimulá-la, e,Continuar lendo ““Nenhum mal atingirá o justo””