Numa equipe, talentos individuais importam mais?

Quanto depende do talento individual e quanto da capacidade de trabalho em conjunto dos membros da equipe? Nos esportes, nos negócios e em centros de pesquisa científica: o que é preciso para se criar uma equipe de sucesso? “As pessoas se surpreendem quando o time dos sonhos perde”, diz Brian Uzzi. Às vezes, ao seContinuar lendo “Numa equipe, talentos individuais importam mais?”

A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui

A estratégia de investimentos de Buffett consiste em encontrar empresas que tenham uma vantagem competitiva durável, além de solidez econômico-financeira. E sentar em cima. Empresas com essas características mostram tanta força e previsibilidade no crescimento de seus lucros que suas ações se transformam em uma espécie de ‘equity bonds‘, como se fora um título comContinuar lendo “A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui”

Incentivo não é o mesmo que motivação

Fred Herzberg estudou por muito tempo a motivação no trabalho. Chegou a um esquema que chamou de “Teoria dos dois fatores” que distingue dois grupos que a influenciam, um externo às pessoas e um interno. Aos externos, intitulou “fatores de higiene ou extrínsecos”; aos intrínsecos, “fatores de motivação”. Os de higiene, ou elementos de trabalho,Continuar lendo “Incentivo não é o mesmo que motivação”

Significado na vida

Clayton Christensen foi o autor de ‘O Dilema da Inovação‘, que introduziu a noção de ‘inovação disruptiva‘, no final dos anos 90. Todos conhecem o conceito. Não vou falar sobre isso, mas sobre um livro que lançou em 2011: “Como Avaliar sua Vida?“. Um ano antes, ele já estava lutando contra um linfoma, semelhante aoContinuar lendo “Significado na vida”

Reinvenções da Sony

Nos anos 50, Akio Morita visitou o Ocidente e ficou humilhado com a percepção da origem “Made in Japan”. Significava produto ruim, mal-acabado, de segunda classe. Algo como ocorreu depois com os produtos coreanos e chineses – estes em rápida transformação. Os produtos brasileiros estão nessa fase, pouco confiáveis – sem tradição, sem marcas ‘fortes’,Continuar lendo “Reinvenções da Sony”

“Basta arranharmos a superfície de um indivíduo adulto para encontrarmos uma criança” (M. Kets de Vries)

“No indivíduo, a insanidade é rara; contudo, em grupos e partidos, em nações e ao longo das mais diferentes épocas, ela é uma regra.” (Nietzsche) Manfred Kets de Vries trouxe a visão psicanalítica para o estudo das organizações, em especial para a ‘liderança’. A psicanálise aliada à psicologia evolutiva, à neuropsiquiatria e às teorias sistêmicaContinuar lendo ““Basta arranharmos a superfície de um indivíduo adulto para encontrarmos uma criança” (M. Kets de Vries)”

“Conceito sem ação é vazio, ação sem conceito é cega.” (Kant)

Nesta semana vi um vídeo de um jovem empresário, bem sucedido, no qual ele ‘ensina’ que frequentar escolas (de negócios) é muito caro e perda de tempo. Ele recomenda que se trabalhe – mesmo de graça – ao lado de quem “já fez o o que você quer fazer”. Quatro anos trabalhando para pessoas comoContinuar lendo ““Conceito sem ação é vazio, ação sem conceito é cega.” (Kant)”

‘Trabalhar juntos’

Extravagante, aventureiro, criador … também escritor, educador, reformador social, ceramista e membro do Partido Comunista da China por 60 anos, até sua morte em 1987. Rewi Alley era neozelandês e adotou a China como lar. Uma história interessante. Era um homem que seus admiradores consideravam quase divino, e seus adversários, um charlatão, um propagandista traiçoeiro,Continuar lendo “‘Trabalhar juntos’”

Criatividade é integração

Chuang-Tzu, ou Zhuangzi, foi um taoista. Viveu entre 369 e 286 a.C. É comum pensar que a criatividade visa a novidade ou originalidade. Essa é uma crença atual. Zhuangzi pensava diferentemente. Para ele, criatividade não é concebida como objetivando a novidade ou originalidade, mas sim a “integração“. Em vez de visar algo novo, visa algoContinuar lendo “Criatividade é integração”

Tradições

O ‘paebaek’ é a tradicional cerimônia coreana para o casamento. Num momento do ritual, os noivos cumprimentam os pais. Esse cumprimento é uma reverência. Ainda em pé, colocam-se as mãos na testa com os polegares e os indicadores formando um triângulo entre elas. Depois, com as mãos nessa posição, ajoelha-se (sem usar as mãos paraContinuar lendo “Tradições”