Névoas

Névoa, seria “a bruma acumulada sobre a bruma”, segundo Jean-Claude Carrière. A névoa da palavra, expressão original do século XIII cunhada pelo poeta pérsio Mowlânâ (ou Rûmî, um poeta, jurista e teólogo sufi persa do século XIII), se refere àquilo que sobrevoa o existente além do ato da escrita, como uma paisagem diáfana.  Há a preguiçaContinuar lendo “Névoas”

A vida ruma para a morte. Não significa que a finalidade da vida seja a morte

Lucrécio, em De Rerum Natura, afirma que “Nada no corpo é concebido a fim de que possa ser usado. O que acidentalmente nasce é por causa de seu uso.” Qualquer biólogo evolucionista assinaria em baixo, embora Lucrécio tenha vivido entre 99 e 55 a.C. Esse pensamento contrariava a ideia vigente, aristotélica, de que “a naturezaContinuar lendo “A vida ruma para a morte. Não significa que a finalidade da vida seja a morte”

A vida é sistêmica

Óbvio. Aparentemente, porque ainda predomina a concepção cartesiana, que consagrou a separação da ‘mente’ do corpo físico e, por extensão, da natureza. Fomos elevados a senhores da natureza. Uma coisa leva a outra: as ideias de Descartes levaram ao racionalismo, ao foco na subjetividade, à especialização … “Um especialista é alguém que sabe cada vezContinuar lendo “A vida é sistêmica”

Sobre as crenças religiosas

Sou um crítico das religiões, ‘entendo’ as posições ateístas, mas sempre fico à caça da minha ‘espiritualidade’, o que quer que isso signifique. Não há contradição, na minha opinião. Dogmas – religiosos, políticos ou científicos – não fazem sentido para mim. Estamos num ‘continuum’; barreiras são para se ultrapassar. Vou abordar o pensamento de RogerContinuar lendo “Sobre as crenças religiosas”

Boécio

“Se o Pai gerou o Filho, ele que foi criado teve um início na sua existência. Daí é evidente que houve um tempo em que o Filho não existia. Segue necessariamente que sua substância veio do nada.” (Ário, diácono de Alexandria, 236-336 d.C., fundador da doutrina ‘arianista’) A doutrina arianista era uma visão antitrinitária deContinuar lendo “Boécio”

Sabedoria antiga

(Márcio Kazuo Teramoto – Engenheiro Mecânico, Master e Trainer em PNL, Palestrante e Coach) Muito do que utilizamos e achamos que é moderno, na verdade, há muito foi dito. Sabedoria antiga, que com o olhar certo, pode trazer soluções para os problemas enfrentados hoje em dia. Uma grande parte das pessoas, atribuladas com os afazeresContinuar lendo “Sabedoria antiga”

“Quando olhamos para dentro, nossa visão de fora se altera” (Joseph Pearce)

Participei ontem, 01 de julho, de uma conversa com meus amigos Adalmir Sampaio Gomes e Avelino Balbino. Fui muito prejudicado pela qualidade da internet, com várias quedas e atrasos no som e na imagem – padrão brasileiro. Falamos sobre tendências para os próximos anos. Pretensioso, mas necessário. Pensar sobre o futuro não nos obriga aContinuar lendo ““Quando olhamos para dentro, nossa visão de fora se altera” (Joseph Pearce)”

A lei dos peixes

O Arthashastra (“a ciência da política”) é um tratado indiano, iniciado no século 2 a.C., sobre a arte de governar, a política econômica e estratégia militar. O autor seria Kautilya, um Maquiavel indiano. Nele, se aconselha ao governante que ele deve iniciar projetos públicos para se manter a ordem social e a ética coletiva, de formaContinuar lendo “A lei dos peixes”

Por que a tolerância não é um ato de amor?

Nelino Azevedo de Mendonça* A palavra tolerância tem origem no termo latino tolerare que, entre outros sentidos, significa suportar, aceitar. Também significa indulgência. O valor semântico da palavra indulgência está relacionado ao ato de “perdoar os erros cometidos pelos outros; clemência. Demonstração de perdão a um castigo, a uma pena, a uma ofensa” (Dicionário online Houaiss). DessaContinuar lendo “Por que a tolerância não é um ato de amor?”

Sobre o Uno

“Três coisas conduzem a Deus: a música, o amor e a filosofia.” (Plotino) Para nosso azar, essas três coisas não são bem vistas atualmente. Plotino é um personagem importante, embora desconhecido por muitos. Viveu de 205 a 270 d.C. Nasceu no Egito e morreu em Roma. Hoje é classificado como um dos principais pensadores doContinuar lendo “Sobre o Uno”