Formação de subalternos

Somos dependentes de “educadores”; sem estes, estamos condenados à ignorância! Parece indiscutível que carecemos de educação, mas, necessariamente de “explicadores”? A educação depende sempre de um terceiro, um mestre, que nos abrirá os olhos para a realidade e aprendizagem? Sem isso não há progresso intelectual? Paulo Freire, entre nós, defendia a Educação como um atoContinuar lendo “Formação de subalternos”

Obrigado!

Envelhecer não dói, ao contrário. É, para mim, uma fase fantástica! Talvez porque já tenha nascido velho. A vida sempre me exigiu atenção; distração não cabia. Não tive uma infância típica: precisei trabalhar desde os sete anos, ajudando meu pai numa feira livre. Brincar, nem pensar. Nunca joguei bola, por exemplo; não sei dar umContinuar lendo “Obrigado!”

Sabemos mesmo?

Havia um seriado na TV, nos anos 50, que fez muito sucesso: Papai Sabe Tudo. O título original era mais apropriado: Father Knows Best. Vi algumas reprises nos anos 80. O fato é que, na minha visão, ninguém “sabe” nada, a rigor. O que julgamos saber é precário e provisório. É “sabido” que Sócrates afirmavaContinuar lendo “Sabemos mesmo?”

A mente submissa

“Jurei perante o altar de Deus eterna hostilidade a toda forma de tirania sobre a mente do homem.” (Thomas Jefferson) Lionel Trilling se inquietava com o futuro da mente humana. Ele identificava, no seio da vida intelectual da nação, um retraimento do espírito. Quando esta mente deixa de ser parte da superestrutura da sociedade eContinuar lendo “A mente submissa”

O estado de ilusória vigília no qual vivemos

Rabindranath Tagore, nascido num 7 de maio, foi poeta, educador, escreveu cantos, óperas-balés, romances, peças de teatro, novelas, ensaios e, depois dos 60 anos se pôs a pintar. Foi o primeiro não-europeu a ganhar o Nobel de Literatura. Chegou a fundar uma escola, que chamou de a “morada da paz”. Seu sistema educacional não eraContinuar lendo “O estado de ilusória vigília no qual vivemos”

Que futuro?

“Poucas coisas simbolizam o futuro tão poderosamente quanto as crianças – e agora, a incerteza do futuro está cobrando seu preço.  Nesta última semana, tive várias conversas com amigos de todo o mundo que estão lutando com a complexidade de orientar seus filhos em transições críticas em nosso contexto atual.  Seja de criança para criança,Continuar lendo “Que futuro?”

Educação política

Há vários Projetos de Lei em proposição no Congresso tentando restaurar o ensino da Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política do Brasil no currículo escolar. Alguns procuram reforçar a importância da unidade familiar na constituição e solidez de uma sociedade saudável. Outros, com viés do “bem”, defendem o tripé “Pátria, Família eContinuar lendo “Educação política”

Sacrifícios modernos

Sexo é bom e necessário; importa para nossas vidas. Dinheiro é bom e necessário; importa para nossas vidas. Juntar os dois tornou-se um “propósito” que tem cada vez mais adeptos. A ideia é tão antiga quanto a humanidade, mas nunca foi tão explorada e divulgada como atualmente. Há aplicativos que se agigantam ao popularizar asContinuar lendo “Sacrifícios modernos”

Poderemos escolher como será nosso fim?

Inebriados, o capitalismo selvagem nos leva à destruição. Antes do fim da nossa espécie, porém, teremos o prazer de devastar o ambiente, como a um inimigo; revirar todas as reservas até deixar as entranhas da Terra à mostra; cavucar o solo marinho à busca de minérios; deixar nossa marca geológica (lixo) em todos os espaços;Continuar lendo “Poderemos escolher como será nosso fim?”

“Todas as crenças organizadas baseiam-se na separação, ainda que preguem a fraternidade”

Krishnamurti acreditava no ser humano, individualmente; para ele, os males decorrem dos processos de organização social, dos seus coletivos. “Pode-se ter esperança nos homens, mas não na sociedade nem em sistemas religiosos organizados: só em vós e em mim.” Sobre a verdade, dizia que ela não é o que está nos livros; ela decorre doContinuar lendo ““Todas as crenças organizadas baseiam-se na separação, ainda que preguem a fraternidade””