“É pirueta pra cavar o ganha-pão Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro”

A situação neste ano, como já falei noutro post, não será agradável. Milhões entrarão na faixa de pobreza. Muitos dos que deixaram de receber o auxílio emergencial, muitos, voltarão à pobreza extrema. Bom, isso não interessa. “Comprei cama, armário, sapato… tudo à vista. Agora faço fila num refeitório popular em São Luis para garantir aContinuar lendo ““É pirueta pra cavar o ganha-pão Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro””

“A inquietação e a futilidade dividem nossos dias.” (Paul Valéry)

Esperanças em 2021? Não as vejo. No ano passado, ainda acreditava que a pasmaceira governamental fosse falta de adaptação. Hoje, percebo que o objetivo é destruir as pontes que poderiam nos levar a um futuro melhor. O presente é sombrio, mas pode ser só uma prévia para o que nos espera. Talvez eu não sejaContinuar lendo ““A inquietação e a futilidade dividem nossos dias.” (Paul Valéry)”

“Nunca saberás o que é suficiente enquanto não souberes o que é demais.” (William Blake)

Toda tendência excessiva em uma direção é compensada por uma contratendência. São ‘oscilações‘, na economia e na sociedade. Uma das ‘ideias’ de Albert Hirschman, um economista que não seguia as escolas de pensamento econômico, as teorias vigentes, a ortodoxia. Um judeu errante, nascido em Berlim, batizado na religião protestante, que viveu na França, Itália, EUA,Continuar lendo ““Nunca saberás o que é suficiente enquanto não souberes o que é demais.” (William Blake)”

“… insistem em minar a têmpera do nosso povo, através da destruição de sua autoestima.”

O baiano Bautista Vidal, engenheiro e físico, precisa ser lembrado. Por seu empenho em tornar o Brasil uma nação soberana, não periférica, que caminhasse com suas próprias pernas, o que requereria uma independência tecnológica. Por seu pioneirismo na estruturação do Pólo Petroquímico de Camaçari, por ter sido um dos idealizadores do PróAlcool, por seu esforçoContinuar lendo ““… insistem em minar a têmpera do nosso povo, através da destruição de sua autoestima.””

Sono é desperdício?

Todos os animais até hoje estudados dormem. Neurocientistas já comprovaram que o sono REM (‘movimento rápido dos olhos’, em inglês), durante o qual sonhamos, é importante para trabalharmos nossas emoções negativas, aprimorarmos habilidades sociais e para a criatividade e solução de problemas. O sono NREM (mais profundo, sem sonhos) é o que consolida as memóriasContinuar lendo “Sono é desperdício?”

Não tem problema, nós pagamos a conta!

Kamyla Borges, do Instituto Clima e Sociedade, observa que o Brasil é a única economia do G20 cujo consumo de energia cresce mais que a produção econômica. Razão: nossas geladeiras e outros aparelhos elétricos estão defasados em relação aos avanços tecnológicos implantados mundo afora; consomem muita energia, alimentados pela ilusão de que temos abundância deContinuar lendo “Não tem problema, nós pagamos a conta!”

Para quem trabalham os economistas?

Malthus (1766-1834) dizia que nada, nada, poderia ser feito para melhorar a situação dos pobres, pois a razão pela qual as classes trabalhadoras eram pobres não estava nos lucros excessivos, mas no fato de que a população aumenta mais depressa do que a subsistência. A morte (epidemias, pestes, pragas, guerras e fome) tinha um papelContinuar lendo “Para quem trabalham os economistas?”

Numa equipe, talentos individuais importam mais?

Quanto depende do talento individual e quanto da capacidade de trabalho em conjunto dos membros da equipe? Nos esportes, nos negócios e em centros de pesquisa científica: o que é preciso para se criar uma equipe de sucesso? “As pessoas se surpreendem quando o time dos sonhos perde”, diz Brian Uzzi. Às vezes, ao seContinuar lendo “Numa equipe, talentos individuais importam mais?”

A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui

A estratégia de investimentos de Buffett consiste em encontrar empresas que tenham uma vantagem competitiva durável, além de solidez econômico-financeira. E sentar em cima. Empresas com essas características mostram tanta força e previsibilidade no crescimento de seus lucros que suas ações se transformam em uma espécie de ‘equity bonds‘, como se fora um título comContinuar lendo “A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui”

“Mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube” (ditado popular)

Estamos chegando a uma dívida próxima a 100% do PIB, após os gastos para atenuar os efeitos da pandemia. O gasto público representava 11% do PIB em 1991; em 2019 chegou a 20%. Então, ou se aumenta a carga tributária ou a dívida. Aumentamos ambas. A dívida continuará crescendo nos próximos anos, e atingirá 110%Continuar lendo ““Mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube” (ditado popular)”