A fome como arma

“Garantimos a segurança alimentar de um sexto da população mundial.” (discurso do presidente na Cúpula das Américas, em 10 de junho 2022). Enquanto isso, cerca de 33 milhões de brasileiros vivem em situação de fome, 14 milhões a mais que em 2020. “O suprimento de alimentos de milhões de ucranianos e milhões de outras pessoasContinuar lendo “A fome como arma”

Capitalismo do desperdício

Há uma potencial crise à vista, além do marasmo atual. O capitalismo, muito brioso, tem sobrevivido a crises cíclicas e a algumas extemporâneas. Quase todas previsíveis e motivadas pela ganância e indiferença com os que não estão no jogo. Esse rio caudaloso tem deixado muitos à margem; essas margens são cada vez mais erodidas eContinuar lendo “Capitalismo do desperdício”

O homem merece a liberdade?

O Utilitarismo é irmão siamês do Liberalismo. Jeremy Bentham (1748-1832), pai do Utilitarismo, um defensor das ideias de Adam Smith (1723-1790), argumentava que cada pessoa era o melhor juiz de seus próprios lucros, que não deveria haver empecilhos criados pelos governos, inclusive com relação a se emprestar dinheiro a juros (usura), tema em voga naContinuar lendo “O homem merece a liberdade?”

A Nêmesis chegará?

Aubrey de Gray é diretor científico de uma organização que se dedica a um modelo de reparação de danos projetado para combater as doenças da velhice, consertando ou desfazendo o que o corpo causa a si mesmo simplesmente por estar vivo. Ele sugere que a ciência médica está prestes a desenvolver tecnologias que, por meioContinuar lendo “A Nêmesis chegará?”

“Invejo a burrice, porque é eterna.” (Nelson Rodrigues)

Como destruir um planeta sem fazer muito esforço. Este é um capítulo de um livro de Noam Chomsky. Um historiador do futuro – se houver – perceberá que neste nosso mundo, existem os que estão tentando com afinco fazer algo em relação às ameaças que nos cercam e outros que estão agindo para intensificá-las. OContinuar lendo ““Invejo a burrice, porque é eterna.” (Nelson Rodrigues)”

A militante do Ideal

“O que você está falando, menina? Estou falando que. Que o quê? Que. Vamos dizer que a menina, minha amiga, pretenderia o quê? Que.” (Poema de Pagu, pouco antes de sua morte) Patrícia Rehder Galvão, Pagu, foi um dos raros exemplos de mulher plena, que não se deixava aprisionar por grilhões mentais, além das onipresentesContinuar lendo “A militante do Ideal”

A realidade se antecipa à ficção?

Para Mark Twain, a diferença entre a verdade e ficção é que a ficção faz mais sentido. Relendo “Becos da Memória”, de Conceição Evaristo, selecionei uma de suas “escrevivências”. “As histórias são inventadas, mesmo as reais, quando são contadas.” (Conceição Evaristo) Bondade era um personagem diferente, não tinha casa, “morava em lugar algum, a nãoContinuar lendo “A realidade se antecipa à ficção?”

Que futuro?

“Poucas coisas simbolizam o futuro tão poderosamente quanto as crianças – e agora, a incerteza do futuro está cobrando seu preço.  Nesta última semana, tive várias conversas com amigos de todo o mundo que estão lutando com a complexidade de orientar seus filhos em transições críticas em nosso contexto atual.  Seja de criança para criança,Continuar lendo “Que futuro?”

Urbanismo sem vínculo social

Vitrúvio, no seu clássico “Tratado de Arquitetura”, escrito em 27 a.C., dedicou vários tópicos aos aspectos de salubridade nas escolhas urbanísticas. Sugeria que as cidades e suas construções deveriam ser pensadas com fito nos seus habitantes! Ficaria surpreso com os atuais amontoados de “moradias” que desconsideram os mínimos cuidados sanitários e preocupações com locomoção, lazerContinuar lendo “Urbanismo sem vínculo social”

Poderemos escolher como será nosso fim?

Inebriados, o capitalismo selvagem nos leva à destruição. Antes do fim da nossa espécie, porém, teremos o prazer de devastar o ambiente, como a um inimigo; revirar todas as reservas até deixar as entranhas da Terra à mostra; cavucar o solo marinho à busca de minérios; deixar nossa marca geológica (lixo) em todos os espaços;Continuar lendo “Poderemos escolher como será nosso fim?”