O social e o fiscal

Houve um tempo em que economistas eram humanos. Brincadeira. Mas, quem leu John Stuart Mill e Adam Smith, além dos seus textos meramente “econômicos”, percebem que eles tinham uma preocupação com o social. Smith: “A maioria dos governos é de ricos para ricos.“/ “Nossos mercadores e senhores reclamam muito dos maus efeitos dos altos saláriosContinuar lendo “O social e o fiscal”

A realeza, as elites e a escravidão

A família imperial não tinha escravos. Nos seus imóveis, todos os negros eram alforriados e assalariados. A Princesa Isabel recebia ameaças contra sua vida e de seus filhos, frequentemente. De onde vinham? Dos grandes cafeicultores escravocratas. Isso desde antes da promulgação da Lei do Ventre Livre e acentuou-se após a abolição. Foi necessário se organizarContinuar lendo “A realeza, as elites e a escravidão”

Intolerância política

O mundo material, feito de átomos e moléculas, de coisas que podemos tocar e cheirar, está se dissolvendo em um mundo de informação, de não-coisas. Aceleradamente! Com a disseminação das redes sociais e do acesso à internet, acreditei que caminharíamos para uma “democracia direta”, em tempo real, plebiscitária. Uma ágora moderna. Byung-Chul Han, vem comContinuar lendo “Intolerância política”

O país indesejado pelas elites

“As elites veem as eleições como oportunidades de manipular as pessoas e não como meios de ouvi-las. Os Big Data tornaram os votos marginais como fontes de feedback, e os manifestantes preferem usar as eleições como ocasiões para demonstrações do que como instrumentos de mudança política.” (Zygmunt Bauman e Leônidas Donskins) A democracia, em qualquerContinuar lendo “O país indesejado pelas elites”

Medos e mentiras

Recuperei uma entrevista de Delfim Netto, de 2007, na qual fala sobre Lula: “Lula já rejeitava o marxismo em seu discurso de posse no Sindicato dos Metalúrgicos, em 1975. Ele disse literalmente que ‘parte da humanidade havia sido esmagada pelo Estado, escravizada pela ideologia marxista, tolhida nos seus mais comezinhos ideais de liberdade, limitada emContinuar lendo “Medos e mentiras”

Violência contra as mulheres

Artigo publicado neste mês na revista Pesquisa Fapesp, assinado por Ricardo Zorzetto, trata dos sofrimentos psíquicos – e até desequilíbrios na imunidade – provocados pelo estresse decorrente de agressões sexuais. Cita um levantamento realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública: no ano passado foram registrados mais de 56 mil casos de estupro no país! UmContinuar lendo “Violência contra as mulheres”

Cinismo e política

O cinismo domina a política e alguns setores sociais e econômicos. Não me refiro à corrente filosófica do Cinismo, que influenciou os estoicos e pregava o total desprezo pelos bens materiais. Sua origem deu-se com Antístenes (445-365 a.C.), discípulo de Sócrates. O cínico mais conhecido é Diógenes de Sinope (404-323 a.C.). A conotação para oContinuar lendo “Cinismo e política”

Risco de morte é 72% maior entre crianças pretas que entre brancas

Recentemente a Fiocruz Bahia divulgou um estudo que mostra o efeito da desigualdade social na incidência de mortes entre crianças. Os dados impressionam! As crianças indígenas, por exemplo, têm 14 vezes mais chances de morrer de diarreia. O risco é 72% maior entre crianças pretas quando comparado com as chances das nascidas de mães brancas.Continuar lendo “Risco de morte é 72% maior entre crianças pretas que entre brancas”

Só temos que nos aturar e respeitar

Este é o milésimo artigo que publico no site Balaio Caótico! Desde que criei o blog, por estímulo de amigos, em junho de 2020, publiquei uma média de 1,2 textos por dia! Não é normal, reconheço, mas foi uma ótima experiência que vivi, principalmente durante a fase crítica da pandemia. Os incautos que me leem,Continuar lendo “Só temos que nos aturar e respeitar”

“Esta vida é só desintegração.” (Tennessee Williams)

Em seu discurso de 21 de março de 1861, “Discurso da pedra angular” (Cornerstone Speech), o vice-presidente confederado Alexander H. Stephens apresentou o que ele acreditava serem as razões para o que chamou de “revolução”, que resultaria na Guerra de Secessão.  Esse discurso é lembrado por muitos pela defesa da escravidão, seu delineamento das diferençasContinuar lendo ““Esta vida é só desintegração.” (Tennessee Williams)”