Design alocêntrico

Neri Oxman é uma designer americana-israelense e professora do MIT Media Lab. É conhecida pela arte e arquitetura que combinam design, biologia, computação e engenharia de materiais. Seu trabalho incorpora design ambiental e morfogênese digital, com formas e propriedades que são determinadas pelo contexto. Ela cunhou a frase “ecologia material“, ou “naturecêntrico” para definir seuContinuar lendo “Design alocêntrico”

A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira

Karl Popper, embora luterano, era de origem judia. Saiu de sua Viena para escapar do nazismo. Na sua juventude, Viena era uma cidade multicultural, multirracial, cosmopolita, de efervescente criatividade literária e artística, espírito crítico e intensos debates intelectuais e políticos. Era a cidade mais culta e livre da Europa. Daí deve ter nascido sua ideiaContinuar lendo “A ciência não é a verdade; a não-ciência é mentira”

A culpa agora é da Anvisa!?

O presidente diz que nunca foi contra vacinas. Há quem acredite. Há quem acredite nele! Ele sempre menosprezou as vacinas, principalmente a Coronavac, da Sinovac com parceria do Instituto Butantã. Ele e sua camarilha a chamavam de ‘vachina’ – tratamento depreciativo à China – ou ‘vacina do Dória’, possível oponente em 2022. Já no inícioContinuar lendo “A culpa agora é da Anvisa!?”

Budismo e ciência

“A religião do futuro será cósmica, transcendendo a ideia de um Deus existindo em pessoa e nascida da experiência de todas as coisas, naturais e espirituais. Se existe uma religião que poderia estar de acordo com os imperativos da ciência moderna, é o budismo.” (Einstein) O budismo é uma filosofia, ou se quiser, uma religião não teísta,Continuar lendo “Budismo e ciência”

Flutuações quânticas: experimentos em fluxo

O artista londrino Markos R. Kay trabalha na interseção da arte digital e da ciência, construindo pontes entre o trabalho às vezes esotérico dos cientistas e do público. Para sua peça Quantum Fluctuations: Experiments in Flux (2016), Kay começou a expressar visualmente uma interação quântica – um fenômeno que é notoriamente inobservável. Primeiro, Kay criouContinuar lendo “Flutuações quânticas: experimentos em fluxo”

Autômatos e religião

Em 1565, um relojoeiro de Toledo, Juanelo Turriano, pode ter sido o autor de um autômato de monge, feito de madeira e ferro, de 15 polegadas de altura. Este autômato, que ainda funciona, foi adquirido pelo Smithsonian Institution em 1977. Periodicamente, o ‘monge’ levanta uma cruz apertada e um rosário em direção aos lábios eContinuar lendo “Autômatos e religião”

Os telescópios são as catedrais do nosso tempo?

“Ver um universo num grão de areia e um paraíso numa flor selvagem, segurar o infinito na palma da mão e a eternidade numa hora.” (William Blake) Algo infinito pode conter outra coisa infinita? Paradoxo? A sucessão dos números naturais 1, 2, 3,… nunca acaba; é infinita. Mas eles contêm dentro deles o conjunto dosContinuar lendo “Os telescópios são as catedrais do nosso tempo?”

Consiliência

O físico e historiador Gerald Holton cunhou a expressão ENCANTAMENTO JÔNICO, que considera a unidade das ciências; uma convicção de que o mundo é ordenado e pode ser explicado por um pequeno número de leis naturais. Einstein tinha esse ‘encantamento’. A referência é aos chamados filósofos pré-socráticos que habitaram a Jônia, província grega na costaContinuar lendo “Consiliência”

O universo tende para o homem?

“Penso que a tarefa do século vindouro, perante a mais terrível ameaça já conhecida pela humanidade, vai ser a de reintegrar os deuses.” (André Malraux) Newton (1643-1727) acreditava que o universo seria uma imensa máquina composta por partículas materialmente inertes, submetidas a forças cegas. A partir de um pequeno conjunto de leis físicas, toda aContinuar lendo “O universo tende para o homem?”

“Agora vejo – este mundo é transitório.” (Karna, no Mahabharata)

Muitas pessoas realmente acreditam que seremos imortais nas próximas décadas:  nem precisaremos de um corpo ou de um cérebro para existir, já que nossas consciências “viverão” em redes de computadores. A tal “singularidade” está à porta. Há a criônica, o processo de preservar — em baixa temperatura — uma pessoa que não pode mais serContinuar lendo ““Agora vejo – este mundo é transitório.” (Karna, no Mahabharata)”