Matéria e forças

Carlo Rubbia descobriu as partículas (bósons) W e Z – mediadoras da ação fraca – que respondem pela radioatividade beta dos núcleos atômicos. Esse trabalho foi realizado em conjunto com Simon van der Meer, no Cern, em 1983. Nobel para ambos. Hoje, Rubbia é senador vitalício na Itália. “Quando observamos a natureza, ficamos impressionados comContinuar lendo “Matéria e forças”

“De onde viemos? O que somos? Para onde vamos?”

O título acima foi o nome dado por Gauguin a este quadro. Ele inspirou o biólogo Edward O. Wilson a escrever seu livro “A conquista social da Terra”, no qual apresenta sua visão da evolução, da natureza e da sociedade humanas, de forma esperançosa porém cautelosa. No centro de tudo, a tensão permanente entre egoísmoContinuar lendo ““De onde viemos? O que somos? Para onde vamos?””

No espaço e no mar profundo

A geóloga, oceanógrafa e ex-astronauta norte-americana Kathy Sullivan, de 68 anos, é a primeira pessoa a caminhar no espaço e mergulhar até o ponto mais profundo do oceano, sonho de muitos exploradores. Em 1984, Sullivan foi a primeira norte‑americana a concluir uma viagem espacial e a realizar uma caminhada no espaço. Após se desligar daContinuar lendo “No espaço e no mar profundo”

Saadi

(Trechos de O Jardim das Rosas, na tradução de Aurelio Buarque de Hollanda, 1952) O Idiota Certo vizir tinha um filho idiota. Mandou-o estudar com um sábio, a quem disse: – Cuida desse menino. Talvez ele se torne inteligente. Durante alguns meses o sábio ensinou à criança, sem nenhum resultado. Desiludido, escreveu ao pai: “TeuContinuar lendo “Saadi”

Corta-jaca

“Neste mundo de misériasQuem imperaÉ quem é mais folgazãoÉ quem sabe cortar jacaNos requebrosDe suprema, perfeição, perfeição (…)” (Corta-jaca, de Chiquinha Gonzaga) O “maxixe” de Chiquinha Gonzaga intitulado “Gaúcho”, conhecido como “Corta-jaca”, foi executado por Nair de Teffé, ao violão, em fina “soirée” no Palácio do Governo, a que compareceram representantes do corpo diplomático eContinuar lendo “Corta-jaca”

A inefetividade do Estado

“A teoria conservadora do estado deve afirmar o estado, porque e na medida em que representa uma obrigação. Também deve, no entanto, impedir que o estado se torne a única obrigação, de se tornar o ‘estado total’. (…) E esse significado e objetivo, isto é, poder, é mau e desmoralizante, destrutivo, se não está vinculadoContinuar lendo “A inefetividade do Estado”

Uma paixão abstrata

Matemática não é para mulheres. Será? Não é verdadeiro esse preconceito, senão seria fácil para os homens, todos. Não é para mim, sei disso, apesar dos esforços; meus professores conseguiram torná-la “indesejável”. Vejam o caso de Sofia Vasilyevna Kovalevskaya, nascida em 1850 na Rússia. Quando criança, seu quarto era revestido com papel de parede. Curiosamente,Continuar lendo “Uma paixão abstrata”