“Abraçada à pipa/ A menina/ Em sono profundo”

“Do rosto manter Afastadas as moscas Só por enquanto … A noite irrompe e não me resta mais nada a fazer do que – por mais que me pareça desprovido de sentido – umedecer, com a água de uma jarra ao lado do leito de meu pai, os seus lábios. A luz do dia vinteContinuar lendo ““Abraçada à pipa/ A menina/ Em sono profundo””

“… Fui feita para objetivos maiores e ando com graça e estilo”

“Quando anoitecer espera pela minha visitapois a noite é quem mais guarda segredo.O que sinto por ti é tal que se fosse o Sol, não nascia,e a lua cheia não se erguia e as estrelas deixavam de girar.” (Wallada Bint Mustakfi) (tradução de Nádia Bentahar e André Simões) Wallada Bint Mustakfi era filha de MuhammadContinuar lendo ““… Fui feita para objetivos maiores e ando com graça e estilo””

“… alcançaremos a verdadeira igualdade social quando conseguirmos ser tão tolas, ineficazes e malvadas como alguns homens o são sem que sejamos recordadas especialmente por isso.” (Rosa Montero)

Maria Lejárraga. Conheces? Poucos a conhecem. Mas, seu marido, Gregório Sierra, foi um dos mais famosos dramaturgos espanhóis no início do século passado. Porém, tudo é criação dela. Ele só assinava. Ela, além de dramaturga, escreveu libretos e numerosas zarzuelas. E, foi ensaísta, feminista, socialista e deputada (uma das primeiras) durante a República. Morreu emContinuar lendo ““… alcançaremos a verdadeira igualdade social quando conseguirmos ser tão tolas, ineficazes e malvadas como alguns homens o são sem que sejamos recordadas especialmente por isso.” (Rosa Montero)”

A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui

A estratégia de investimentos de Buffett consiste em encontrar empresas que tenham uma vantagem competitiva durável, além de solidez econômico-financeira. E sentar em cima. Empresas com essas características mostram tanta força e previsibilidade no crescimento de seus lucros que suas ações se transformam em uma espécie de ‘equity bonds‘, como se fora um título comContinuar lendo “A meta de Buffett: encontrar negócios nos quais o potencial de ganhos aumenta enquanto o risco diminui”

“Punge-me sempre, cada vez mais a dúvida: o brasileiro é um povo em formação ou em dissolução?” (Capistrano de Abreu)

Capistrano de Abreu (1853-1927) era cearense e foi viver, às próprias custas, no Rio, aos 21 anos. Ao envelhecer, assistia a uma profunda crise dos valores e da linguagem pública. Comungava com José Bonifácio, que morrera em 1838, um amargor pela condução do país. Para Bonifácio, “no Brasil, o real vai além do possível.” “EsqueçaContinuar lendo ““Punge-me sempre, cada vez mais a dúvida: o brasileiro é um povo em formação ou em dissolução?” (Capistrano de Abreu)”

Inventividade

“Cunha Sales, inventor do Pantheon Ceroplástico, teve certamente a idéia de só gastar cera com bons defuntos; mas acaba de aprender que a podia gastar com piores.Não falo dos propriamente mortos, mas dos vivos, a quem quis ensinar história por meio de uma vista de pessoas históricas. Não podendo fazê-lo de graça, estabeleceu uma entrada,Continuar lendo “Inventividade”

“A dor é um século, a morte um momento” (Gresset)

Falemos um pouco sobre escravidão, essa coisa “benéfica para os descendentes”, na opinião de quem ocupa a Fundação Palmares, criada para “promover a preservação dos valores culturais, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira”. Escravidão é história a ser apagada, como convém ao negaciosismo vigente. Foram 338 anos de sofrimentos,Continuar lendo ““A dor é um século, a morte um momento” (Gresset)”

Para o que serve o poeta?

“Se alguém, vendo Deus, compreende o que viu, não viu Deus.” (Pseudo-Dionísio) “A poesia talvez não diga nada. A rigor, não diz. O uso que faz das palavras não é paradizer o que as palavras dizem, mas o que elas não são capazes de dizer. Como a música,a poesia também não encontra palavras que aContinuar lendo “Para o que serve o poeta?”

“O maior inimigo da verdade não costuma ser a mentira, mas o mito” (John Kennedy)

5 de setembro de 1945. A Segunda Guerra Mundial havia terminado apenas três dias antes com a rendição do Japão, e fazia menos de um mês desde que os americanos haviam inaugurado a era nuclear lançando suas bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki. Os EUA ainda comemoravam sua vitória. Mas, no Canadá, um jovem criptógrafoContinuar lendo ““O maior inimigo da verdade não costuma ser a mentira, mas o mito” (John Kennedy)”

Excêntricos

“Havia Henri, que trabalhava nos esgotos. Era um sujeito alto e melancólico, de cabelos crespos, com certo ar romântico em sua longas botas de trabalho. A peculiaridade de Henri era não falar por dias a fio, exceto por motivos de trabalho. Havia apenas um ano, tinha um bom emprego de motorista e vinha guardando dinheiro.Continuar lendo “Excêntricos”