O anel de Polícrates

Vejo as notícias sobre Elon Musk, inevitáveis. O sujeito tem muito dinheiro, dizem que mais que qualquer outro. Há muitos que o admiram como símbolo do sucesso, mérito, intrepidez, capitalismo, liberdade, visão de mundo e de futuro etc. Onde outros veem arrogância, dizem que é assertividade; não seria controverso, mas objetivo e lúcido acima dosContinuar lendo “O anel de Polícrates”

A vida é sinuosa

Benjamin Ferencz tem 102 anos. Foi combatente na Segunda Guerra e é o único promotor ainda vivo dos julgamentos de Nuremberg. Apesar de ter visto o pior do ser humano, nunca perdeu a esperança e o otimismo. Ao completar 100 anos escreveu “Palavras de Despedida” (Parting Words), com o intuito de falar sobre o melhorContinuar lendo “A vida é sinuosa”

Cinismo e política

O cinismo domina a política e alguns setores sociais e econômicos. Não me refiro à corrente filosófica do Cinismo, que influenciou os estoicos e pregava o total desprezo pelos bens materiais. Sua origem deu-se com Antístenes (445-365 a.C.), discípulo de Sócrates. O cínico mais conhecido é Diógenes de Sinope (404-323 a.C.). A conotação para oContinuar lendo “Cinismo e política”

Só temos que nos aturar e respeitar

Este é o milésimo artigo que publico no site Balaio Caótico! Desde que criei o blog, por estímulo de amigos, em junho de 2020, publiquei uma média de 1,2 textos por dia! Não é normal, reconheço, mas foi uma ótima experiência que vivi, principalmente durante a fase crítica da pandemia. Os incautos que me leem,Continuar lendo “Só temos que nos aturar e respeitar”

Bakunin, materialista e anarquista

O que seríamos sem os outros, mesmo para um egoísta? Tanto nossa liberdade individual como nossa personalidade só se realizam (potencialmente) se vivermos em sociedade, completando-nos com todos os indivíduos que nos cercam e graças ao trabalho conjunto, à força coletiva da sociedade. Sem os outros seríamos mais estúpidos e miseráveis que qualquer outro animalContinuar lendo “Bakunin, materialista e anarquista”

Colette Catta, uma homenagem

Muitos de nós tendem, às vezes, a perder a esperança na humanidade. A falta de empatia, solidariedade, compaixão, ou caridade cristã, diariamente divulgada sem rubor nas redes sociais e outros meios, principalmente por pessoas com supostas responsabilidades políticas, leva-nos a esquecer que esses não nos representam; são apenas desvios. Há exemplos de pessoas anônimas que,Continuar lendo “Colette Catta, uma homenagem”

Como o Brasil tornou-se reino

Dom João VI elevou o Brasil à condição de reino. Em 1815 deixamos de ser colônia. Isso foi chave para a nossa história. Mas, por que? Num livro de 1926, Paulo Setúbal, traz alguns elementos. Paulo era advogado, jornalista e escritor. Sim, o grande Olavo Egydio Setúbal era seu filho. Dom João estava gostando doContinuar lendo “Como o Brasil tornou-se reino”

Imaginava “um socialismo humano e democrático”

Mikhail Gorbachev foi o último líder da URSS, entre 1985 e 1991. Hoje ele se foi, aos 91 anos. Visionário ou ingênuo, percebeu que o regime soviético não resistiria no seu formato engessado e lustroso, tanto militar quanto economicamente. Procurou alternativas para a sobrevida do regime. Acompanhei com interesse esse esforço: a Perestroika, uma reestruturaçãoContinuar lendo “Imaginava “um socialismo humano e democrático””

“Incerto, incauto renasço a cada dia” (Adonis)

Ali Ahmad Said Esber é um poeta sírio. Adotou o pseudônimo de Adonis em referência a uma fábula fenícia que se irradiou na mitologia grega. Na mitologia, Adonis atraiu o amor de Afrodite e de Perséfone. Problemas. Uma mulher só já requer atenção; duas desestabilizam. Vocês viram o debate de ontem. Ares, amante de AfroditeContinuar lendo ““Incerto, incauto renasço a cada dia” (Adonis)”

A ilusão de que temos uma posição privilegiada no Universo (Sagan)

Carl Sagan escreveu “O Mundo Assombrado pelos Demônios” em 1995. Foi seu penúltimo livro. Nele, nota-se uma preocupação com o negativismo científico, consequência do que chamava de analfabetismo científico. Para ele, a ciência era como uma vela no escuro. Citava Isaías: “Esperamos pela luz, mas contemplamos a escuridão”. Dedicou parte de sua vida à divulgaçãoContinuar lendo “A ilusão de que temos uma posição privilegiada no Universo (Sagan)”