Risco de morte é 72% maior entre crianças pretas que entre brancas

Recentemente a Fiocruz Bahia divulgou um estudo que mostra o efeito da desigualdade social na incidência de mortes entre crianças. Os dados impressionam! As crianças indígenas, por exemplo, têm 14 vezes mais chances de morrer de diarreia. O risco é 72% maior entre crianças pretas quando comparado com as chances das nascidas de mães brancas.Continuar lendo “Risco de morte é 72% maior entre crianças pretas que entre brancas”

O mundo das ideias

“Os vivos são sempre e cada vez mais governados pelos mortos”: este é um lema positivista, dito por Augusto Comte. Podemos não perceber, mas “a quase totalidade de nossos pensamentos, de nossas convicções, e também de nossos valores, se inscreve nas grandes visões do mundo já elaboradas e estruturadas ao longo da história das ideias”,Continuar lendo “O mundo das ideias”

Só temos que nos aturar e respeitar

Este é o milésimo artigo que publico no site Balaio Caótico! Desde que criei o blog, por estímulo de amigos, em junho de 2020, publiquei uma média de 1,2 textos por dia! Não é normal, reconheço, mas foi uma ótima experiência que vivi, principalmente durante a fase crítica da pandemia. Os incautos que me leem,Continuar lendo “Só temos que nos aturar e respeitar”

A pós-modernidade ainda representa nosso tempo?

A partir dos anos 1840, Charles Baudelaire identificava o que viria a ser reconhecido como Modernismo, ao destacar a atividade de Constantin Guys, como jornalista e ilustrador. Nascia a ideia de que a modernidade seria a reunião do eterno e do transitório, revelando um interesse especial na moda e sua relação com a beleza, comContinuar lendo “A pós-modernidade ainda representa nosso tempo?”

O passado pode ser um alçapão

Falta-nos fôlego! A vida contemporânea nos cobra o sucesso – econômico, emocional e social – já! Os exemplos de pessoas bem sucedidas pipocam nas redes. Os coaches e influenciadores pululam, para nos orientar. Tudo fácil, tudo à nossa mão. O capitalismo, capitaneado pelos ideais neoliberais, propaga que o não-sucesso é uma falha; a meritocracia éContinuar lendo “O passado pode ser um alçapão”

“Esta vida é só desintegração.” (Tennessee Williams)

Em seu discurso de 21 de março de 1861, “Discurso da pedra angular” (Cornerstone Speech), o vice-presidente confederado Alexander H. Stephens apresentou o que ele acreditava serem as razões para o que chamou de “revolução”, que resultaria na Guerra de Secessão.  Esse discurso é lembrado por muitos pela defesa da escravidão, seu delineamento das diferençasContinuar lendo ““Esta vida é só desintegração.” (Tennessee Williams)”

Entre o mito e a memória

Filha de um operário e de uma empregada doméstica, Lélia Gonzalez nasceu em Belo Horizonte. Era a penúltima de 18 irmãos. A exemplo do que ocorre com uma parcela considerável das mulheres negras desse país, ela trabalhou como empregada doméstica e babá. Apesar das dificuldades, Lélia Gonzalez graduou-se em História e Geografia. Em 1962, tornou-seContinuar lendo “Entre o mito e a memória”

A humanidade sempre expulsou seus “loucos”

“O inimigo deve ser feio, pois o belo é identificado com o bom. Uma das características fundamentais da beleza sempre foi aquilo que a Idade Média chamava de “integritas“, isto é, ter tudo o que é exigido para ser um representante médio daquela espécie. Os bárbaros, na Roma antiga, eram os que tinham, por exemplo,Continuar lendo “A humanidade sempre expulsou seus “loucos””

A antropologia acabará?

Mark David Pagel é membro da Royal Society e professor de biologia evolutiva na Reading University, no Reino Unido. É conhecido por seu trabalho na construção de modelos estatísticos destinados a examinar os processos evolutivos do comportamento animal e humano, da genômica ao surgimento de sistemas complexos, à linguagem e cultura. O que explica aContinuar lendo “A antropologia acabará?”

Um certo mal-estar

Jurei absoluta fidelidade a mim mesmo, como fizera Nietzsche ao procurar suas próprias ideias, além das dominantes de então. Para ele, não mais o impressionavam “nem as ideias feudais, nem as ideias dos democratas burgueses, nem o socialismo. Ao redor delas não existem mais que uma mescla informe de sentimentos, de estilos, de instituições eContinuar lendo “Um certo mal-estar”