Sobre milagres

Milagre é o que nos deixa “maravilhados”. Desejar e conseguir uma cura para doenças é um milagre? Pode ser, se for algo com poucas possibilidades. Tudo o que nos surpreende – pela superação de dificuldades, baixa probabilidade, fatos inusitados, mudanças no limite – poderia ser visto como miraculoso, a rigor. Neste sentido, o Brasil precisaContinuar lendo “Sobre milagres”

Concentração fundiária

“Precisamos, precisamos esquecer o Brasil! Tão majestoso, tão sem limites, tão despropositado, ele quer repousar de nossos terríveis carinhos. O Brasil não nos quer! Está farto de nós! Nosso Brasil é no outro mundo. Este não é o Brasil. Nenhum Brasil existe. E acaso existirão os brasileiros?” (Trecho de Hino Nacional, de Carlos Drummond deContinuar lendo “Concentração fundiária”

O Brasil que pouco se vê

O Brasil não é fácil de se entender. Para mim, pelo menos. O Brasil produzirá 260 milhões de toneladas de grãos nesta safra e se ufana de garantir a segurança alimentar de um sexto da população mundial, conforme falou o presidente na ONU em setembro do ano passado: “No Brasil, apesar da crise mundial, aContinuar lendo “O Brasil que pouco se vê”

“… a atmosfera teria sido feita transparente com esta intenção: brindar ao homem, nos corpos celestes, com a presença perpétua do sublime.”

Ralph Waldo Emerson era um pastor, até discordar sobre a “eucaristia” como um ato de fé: “Este modo de comemorar Cristo não serve para mim”, justificou. Juntamente com Henry David Thoreau e a impressionante Margaret Fuller desenvolveram o “transcendentalismo“, que defende a existência de um estado espiritual ideal que “transcende” o físico e o empírico,Continuar lendo ““… a atmosfera teria sido feita transparente com esta intenção: brindar ao homem, nos corpos celestes, com a presença perpétua do sublime.””

Edição genética

No ano passado, duas mulheres – Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna – ganharam o Nobel de Química, pela descoberta da tesoura genética ou molecular, conhecida como CRISPR/Cas. Segundo o júri, essa premiação objetivava recompensar “o desenvolvimento de um método de edição de genes que contribui para o desenvolvimento de novas terapias contra o câncer eContinuar lendo “Edição genética”

“aventura é ser mãe e pai”

Quantos sentidos temos? Alguns, nenhum. Outros, seis ou sete. Além dos cinco tradicionais, supõem-se que haja um sexto sentido, o “feeling“, a intuição, o pressentimento – a integração de todos os cinco, ou a emergência de um sentimento agregado, segundo o neurologista Martin Portner. Pode, ainda, haver um sétimo, a sinestesia, que alguns preferem entenderContinuar lendo ““aventura é ser mãe e pai””

Por medidas efetivas de combate à pandemia

Economistas e banqueiros renomados divulgaram uma Carta Aberta neste domingo (21/03/21) em que exigem dos governantes brasileiros medidas efetivas contra o avanço do coronavírus no país. Entre os nomes que referendam a carta estão os ex-ministros da Fazenda Pedro Malan, Maílson da Nóbrega, Marcílio Marques Moreira e Ruben Ricupero, e os ex-presidentes do Banco CentralContinuar lendo “Por medidas efetivas de combate à pandemia”

Além da “crise de gestão”, os governantes atuais praticam a “gestão por meio de crises”.

“Os homens normais não sabem que tudo é possível.” (David Rousset) Ah, se muitos lessem Hannah Arendt! As ideologias, que anulam personalidades e as substituem pelo coletivo, pelo mugido das multidões, talvez não encontrassem terreno fértil. Talvez, mas não é certo. Vejam o que ocorre neste momento de pandemia: evidências que pareciam inquestionáveis só fortaleceramContinuar lendo “Além da “crise de gestão”, os governantes atuais praticam a “gestão por meio de crises”.”

“O que não sabe é um ignorante, mas o que sabe e não diz nada é um criminoso”

Eugen Bertholt Friedrich Brecht estudou medicina, mas realizou-se como dramaturgo e poeta. Passou parte da vida fugindo: primeiro do nazismo e depois, do macarthismo. À POSTERIDADE (Bertolt Brecht) I Não há dúvida que vivo numa idade escura! Uma palavra sem malícia é um absurdo. Uma fronte suave Revela um coração duro. Aquele que está rindoContinuar lendo ““O que não sabe é um ignorante, mas o que sabe e não diz nada é um criminoso””

Pantanal, adeus!

Em 1988, Itamar Assumpção prenunciava um trágico destino para o Pantanal. No ano passado, o Inpe registrou mais de 20 mil focos de incêndio no bioma; mais que o dobro do ano anterior. O pico foi em outubro, com quase 3 mil ocorrências. As causas estão indefinidas. Alguns disseram que os focos começaram naturalmente, porContinuar lendo “Pantanal, adeus!”