“Hoje, um número cada vez maior de pessoas está aprendendo que é preciso simplificar, e não complicar.” (John Sculley)

TOP 6 QUOTES BY ROBERT UPDEGRAFF | A-Z Quotes
(Robert R. Updegraff, 1889-1977)

Robert Updegraff via a vida não como uma sucessão de batalhas, mas como um campo perene de cultivo e cuidados. E, que os problemas que encontramos pela frente, se encarados como desafios de crescimento, garantem nosso progresso pessoal.

“A felicidade deve ser encontrada ao longo do caminho, não no fim da estrada, pois então a jornada termina e é tarde demais.

Hoje, esta hora, este minuto é o dia, a hora, o minuto para cada um de nós sentir o fato de que a vida é boa, com todas as suas provações e dificuldades, e talvez mais interessante por causa deles.” (R. Updegraff)

Essa ideia – mais elaborada – seria retomada, em 1986, por James Carse, no seu livro “Jogos finitos e infinitos – A vida como jogo e possibilidade” e, recentemente, por Simon Sinek, em “O Jogo Infinito”.

Ele ficou famoso por divulgar a necessidade de focarmos o óbvio, o simples.

Seu livro “Óbvio Adams“, de 1916, apresentava um personagem cujo talento era resolver problemas indo direto ao ponto, com o máximo de objetividade.

Vemos ainda hoje, “soluções” que são expressas de forma ininteligível, herméticas. A obscuridade parece dar um ar de ‘autoridade’ ou sofisticação, inclusive nos meios publicitários.

Valoriza-se a sofisticação, no sentido de requinte, mas o resultado é, em geral, afetação e artificialismo. O óbvio não tem apelo; parece que só valem as ideias brilhantes e planos engenhosos.

Precisamos, sempre que possível, de algo prático, direto, que funcione sem mistérios; e, o que nos chega são serviços ou aparatos cercados de apetrechos desnecessários.

Tenta-se comprar uma coisa e recebe-se “cortesias gratuitas”.

Leonardo Da Vinci, para quem “A simplicidade é o último grau de sofisticação”, certamente não aprovaria esse engodo.

Há problemas que requerem para suas resoluções, apenas, uma observação atenta, sem atalhos, procurando o óbvio.

Alguns empresários, por exemplo, não conseguem enxergar seus problemas, por mais óbvios que sejam, devido a uma miopia empresarial.

R. Updegraff lista cinco princípios para se testar a “obviedade” do óbvio:

  • Depois de achadas, todas as respostas são óbvias;
  • O óbvio está em harmonia com a natureza humana;
  • O óbvio não gasta papel;
  • O óbvio brilha nos olhos das pessoas; e,
  • O óbvio tem hora certa.

Algumas perguntas auxiliam no processo para se encontrar as respostas óbvias:

  • Dá para simplificar?
  • Que tal inverter o processo?
  • Quem opina vai comprar?
  • Ainda sai coelho dessa toca?
  • O que era bom pode ficar melhor?

“O método da ciência depende de nossas tentativas de descrever o mundo com teorias simples: teorias que são complexas podem se tornar não testáveis, mesmo sendo verdadeiras.
A ciência pode ser descrita como a arte da simplificação excessiva sistemática – a arte de discernir o que podemos omitir com vantagem (…)” (Karl Popper)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: