“Eu estou instalado no coração de todos” (Bhagavad-Gita)

Fritz Zwicky usando o telescópio Schmidt de 18 polegadas no Observatório Palomar na década de 1930.
(Fritz Zwicky no Observatório Palomar, Califórnia, na década de 1930)

A ciência se esforça para entender o que seria a “matéria escura”.

Desde que Vera Rubin (1928-2016), nos anos 1970, demonstrou que a velocidade de rotação nas regiões externas de galáxias espirais é muito maior que aquela que seria produzida por suas estrelas, reforçou-se que a razão para isso seria a existência de “matéria escura”.

Reforçou-se, porque esse termo fora cunhado em 1933 por Fritz Zwicky (1898-1974).

Zwicky foi pioneiro em descobertas sobre os constituintes do cosmos, desde supernovas e estrelas de nêutrons até matéria escura e galáxias compactas.  É celebrado, principalmente, como o ‘pai da matéria escura’. 

No início dos anos 1930, enquanto estudava as observações de Edwin Hubble do aglomerado de galáxias Coma, ele notou uma anomalia. De acordo com a medida da massa visível, as galáxias individuais estavam se movendo rápido demais para que o aglomerado permanecesse unido. Zwicky postulou que um tipo de massa ainda não observado, matéria escura, poderia explicá-lo.

Entretanto, a matéria escura é aparentemente a coisa mais onipresente que os físicos nunca encontraram. E, enquanto não for encontrada, ainda é possível que não haja matéria escura.

Uma alternativa permanece: em vez de grandes quantidades de matéria oculta, algum aspecto misterioso da gravidade poderia estar distorcendo o cosmos.

Quando o espaço-tempo é curvo, ele produz gravidade e, se for curvo de uma maneira particular, cria a ilusão de matéria escura“, acredita Mordehai Milgrom.

Mesmo enquanto não se comprova a existência da matéria escura – ou a gravidade modificada – cientistas calculam que ela constitua 84,5% da matéria total do universo.

Há um verso do Bhagavatam (comentários aos Vedanta-sütras) que diz:

“O reino de Deus, ou a atmosfera da natureza Vaikuntha, é três vezes maior que os universos materiais.

Este universo, que contém bilhões de estrelas e planetas, é um dos bilhões de tais universos …

E todos estes milhões e bilhões de universos combinados constituem apenas uma quarta parte da magnitude de toda a criação do Senhor.

Há, também, o céu espiritual; além deste céu, estão os planetas espirituais, que constituem três quartas partes de toda a criação do Senhor.”

E, o que significa “Na casa de meu Pai há muitas moradas” (João 14, 2)?

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: