Desarrumados

Dom Helder Câmara em entrevista histórica
(Dom Hélder Câmara, 1909-1999)

“Não tenho tempo”, “Estão me esperando”, “Preciso ir”, “Só disponho de um minuto”. (Michel Quoist)

Sobre isso, comenta Dom Hélder Câmara: “O tempo! Só podemos avaliar como o tempo passa, se evapora, contemplando um relógio, um ponteiro de segundos. O importante não tentar o impossível de fazer o tempo parar. O importante é aproveitar o tempo, transformando-o em boa eternidade.”

Para os dias confusos em que vivemos, em que o tempo – que já foi dinheiro e agora é desocupação, desemprego – é algo que nos falta porque já fizemos uso dele em coisas mais virtuais que reais, vale a pena rever nosso amigo Dom Hélder:

Desinstala-me, Senhor!

“Todos conhecemos Homens, sobretudo Escritores e Artistas, que têm a mesa de trabalho desarrumadíssima …

Mas o curioso é que eles se entendem e se acham naquela desarrumação. É desarrumação para os outros, não para eles.

Quando uma Esposa, uma Filha ou uma Secretária, com a melhor das boas vontades, mete-se a arrumar, é um desastre … Aí é que eles se perdem.

Sabem de quem eu me lembro? Ninguém se escandalize: lembro-me de Deus que nos desarruma de todo, mas, depois, nos torna a arrumar como ninguém.

Tu me desarrumas o comodismo, Senhor!

‘Abalas minha confiança em mim mesmo

Ris do meu orgulho desmedido

Deitas por terra

meus planos, meus sonhos, minhas ambições …

Quando tudo parece perdido

rearrumas tudo

com tal inteligência

e tanto amor

como se não tivesses

outra tarefa a teu cargo,

Senhor Deus do Universo!’

Que grande graça ter o comodismo desarrumado! Como nos instalamos na vida! Como nos enraizamos com facilidade …

Parecemos árvores destas que pegam de galho e espalham raízes por toda parte …

Que grande graça ter abalada a confiança em nós mesmos!

São Paulo dizia: ‘Quando estou fraco, então estou forte! Quando confio na minha força (que não existe, que é ilusão, é fraqueza) então me invade a força de Deus.’

Que grande graça ter o orgulho partido ao meio, quebrado, destroçado …

Deus tem paciência com todas as faltas, menos com o orgulho. O orgulhoso não precisa de ninguém, nem de Deus.

Confia nas próprias pernas, na própria cabeça.

Claro que se confiamos em nós por tabela – confiamos em nós porque confiamos em Deus – então está tudo bem.

O mal é pensar que nos bastamos. Aí, Deus, não para castigar-nos, mas para abrir-nos os olhos, deixa que caminhemos sozinhos, até que o tombo nos alerte …

O mais difícil é quando Deus põe por terra nossas ambições, nossos sonhos, nossos planos …

Ele gosta de provar nossa fé. Ele gosta de experimentar-nos.

Quando enxergamos, por detrás das mãos dos Homens, a Providência que sabe tirar o bem do próprio mal, então, quando tudo parece perdido, sem remédio, o próprio Deus, como se não tivesse outro trabalho a fazer, Ele mesmo nos rearruma …

Nossos planos se corrigem e consolidam. Nossos sonhos se tornam ainda mais audaciosos. Nossas ambições, sintonizadas com os planos de Deus, longe de fraudarem os planos divinos, dão glória ao Senhor e Pai!”

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: