“Continuam a viver em nós todos aqueles que se foram embora.” (Pirandello)

(Luigi Pirandello, 1867-1936)

“Todos vivemos com a ilusão de que os outros, por fora, nos vejam como nós imaginamos ser por dentro. E não é assim.” (Pirandello)

Luigi Pirandello é filho do Caos. Este era o nome (Càvusu, no dialeto local) da pequena aldeia onde nasceu, localizada em Agrigento, na Sicília.

Cedo, deu-se conta da farsa que é a vida e dos comediantes desajeitados que são os homens. Estes, para sobreviver, se alimentam de ilusões e de relações imaginárias.

“A vida é de tal forma absurda e vazia de sentido que o homem elege uma aparência e uma mentira para convencer a si mesmo e aos outros de que não é um medíocre”, segundo Décio de Almeida Prado, comentando a obra de Pirandello.

Os personagens que criou tinham, segundo ele, uma grande vantagem em relação aos seres humanos, por serem produto da imaginação de um autor; faziam parte da arte e não da vida. Dessa forma, podem representar seus papéis de maneira verossímil e com uma consistência que a realidade não tem.

A vida de Pirandello tem lances trágicos. Sua primeira namorada, Lina, por quem ele era apaixonado, aceitou ser sua noiva e prometeram se casar após ele concluir seu curso superior, na Alemanha.

Quando ele retornou já não mais a amava e desfez o noivado. Lina enlouqueceu.

Anos depois, casado com Maria Antonietta, sua família perde tudo após um terremoto destruir sua mina de enxofre. Maria Antonietta enlouqueceu.

Nessa época, escreveu a peça “O Falecido Mattia Pascal”, a história de um homem que, aproveitando-se de uma falsa notícia sobre sua morte, resolve aproveitar as oportunidades de viver uma outra existência. Dá tudo errado.

Essa temática o acompanharia: a multiplicidade de máscaras que existe dentro de nós. O indivíduo não é um, mas muitos, tanto quanto o número de pessoas que nos vêem e julgam.

“Seis Personagens à Procura de um Autor” é sua peça mais complexa. É o teatro como tema do teatro. Obra-prima!

“A influência de Pirandello na dramaturgia do século XX é incomensurável.

Em sua angústia sobre a natureza da existência, antecipa-se a Sartre e Camus; em suas percepções sobre a desintegração da personalidade e isolamento do homem, antecipa-se a Samuel Beckett; em sua implacável guerra sobre a linguagem, teoria, conceitos e espírito coletivo, antecipa-se a Eugène Ionesco; na maneira como aborda o conflito entre verdade e ilusão, antecipa-se a Eugene O’Neill (e, posteriormente, a Harold Pinter e Edward Albee); em suas experiências com o teatro, antecipa-se a uma multidão de dramaturgos experimentais; em seu emprego da interação de atores e personagens, antecipa-se a Jean Anouilh; em sua visão da tensão entre máscara pública e a face particular, antecipa-se a Jean Giraudoux; e em seu conceito do homem como animal que interpreta um papel, antecipa-se a Jean Genet.” (Robert Brustein)

Na atualidade, há personagens no governo que estão à busca de autores. Personagens que normalmente se apresentam como “vítimas”, quando sabemos que são “algozes”; que fingem ser “conservadores”, embora sua sanha seja a de destruir; que falam em probidade enquanto desmoronam os meios institucionais de controle etc. Vocês sabem.

Um governo cujo mote alguns vêem como sendo “mate” e “desmate”.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em ““Continuam a viver em nós todos aqueles que se foram embora.” (Pirandello)

  1. “Mate e desmate”, “nunca antes na história deste País”, alguém definiu de forma tão apropriada a longa noite que atravessamos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: