Legenda Aurea

PalazzoTrinci010.jpg
(Jacobus de Voragine com a Lenda de Ouro na mão, afresco de Ottaviano Nelli)

Jacobus de Voragine (1230-1298) foi um cronista italiano e arcebispo de Gênova. Ele foi o autor, ou mais precisamente o compilador, da Legenda Aurea, a Lenda de Ouro, uma coleção das vidas lendárias dos santos maiores da igreja medieval, uma das obras religiosas mais populares da Idade Média.

Nessas lendas, o mais empolgante e dramático não era bem a vida dos santos, mas a sua morte.

Suas vidas eram parecidas, exemplos de virtude, paciência e misericórdia. As mortes, porém, eram … específicas. Algumas:

  • são Feliciano, engolindo chumbo quente;
  • santa Bárbara, decapitada pelo próprio pai;
  • santa Juliana, com os membros partidos na roda;
  • são Calixto, afogado no fundo de um poço;
  • são Vidal, enterrado vivo;
  • são Fusciano, após ser degolado tomou nas mãos a própria cabeça;
  • são Forósio, depois de morto foi disputado entre os anjos e demônios (…)

Há algumas vidas com detalhes interessantes:

  • são Simeão, o Estelita, não descia do alto de uma coluna;
  • são Nicolau cuidava de casar as moças de sua cidade;
  • santo Hilário implorou a Deus que sua filha morresse antes de perder a virgindade (teve êxito);
  • santa Taís foi cortesã antes de ser santa;
  • santa Genoveva teve a força de afastar os terríveis hunos da cidade de Paris;
  • santo Aleixo, um exemplo de humildade, fugiu da casa dos pais ricos para retornar, após muitos anos, disfarçado de escravo (…)

Conta-se também as histórias de sete crentes que passaram dois séculos em sono profundo para darem prova da ressurreição dos mortos e, a de 11 mil virgens que morreram juntas.

Uma lenda que parece plágio é a de são Josafá, coincidentemente igual à de Sidarta Gautama, o fundador do budismo: teria por pai um monarca rico que lhe queria esconder todos os sofrimentos do mundo até que, já adulto, encontrou um velho, um doente e um mendigo. Esses três flagelos da humanidade fizeram com que abandonasse seu castelo e foi viver solitariamente.

Este resumo baseou-se no clássico “Mar de Histórias – Antologia do Conto Mundial”, de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira e Paulo Rónai.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: