“Escurecer o sol”

Mount Sinabung in Karo, Indonesia, erupting earlier this month. Solar geoengineering technology can involve the dispersal of aerosols in the air similar to those from volcanic eruptions.
(Monte Sinabung, na Indonésia, em erupção no início deste mês. A tecnologia de geoengenharia solar pode envolver a dispersão de aerossóis no ar semelhantes aos de erupções vulcânicas. Associated Press)

Talvez poucos sejam consultados, mas cientistas querem bloquear a luz solar para reduzir o aquecimento global.

A ideia de resfriar artificialmente o planeta para reduzir a mudança climática – na verdade, bloquear a luz solar antes que ela aqueça a atmosfera – ganhou um impulso nesta semana, quando as Academias Nacionais de Ciências (NAS) pediram ao governo dos Estados Unidos que invista pelo menos US$ 100 milhões para pesquisar a tecnologia.

Embora prevejam uma governança suficiente, com a participação de outras nações (todas?) e advirtam para riscos “desconhecidos ou negativos“, sabemos que há a tendência de se “suportar” riscos, em prol de uma causa maior.

Os cientistas reforçam que a redução das emissões de carbono segue sendo a ação mais urgente contra a mudança do clima, mas o progresso lento e preocupante nessa frente pressiona pela consideração de outras soluções viáveis ainda pouco estudadas. Parece prudente. Problemas podem surgir quando as tecnologias estiverem “prontas”.

Se o investimento nessas tecnologias for menor do que o necessário para se reduzir as emissões de gases de efeito estufa, o que decidirão?

Eis um resumo do relatório apresentado:

“A mudança climática está criando impactos generalizados e graves para indivíduos, comunidades, economias e ecossistemas em todo o mundo.

Embora os esforços para reduzir as emissões e se adaptar aos impactos do clima sejam a primeira linha de defesa, os pesquisadores estão explorando outras opções para reduzir o aquecimento.

As estratégias de geoengenharia solar são projetadas para resfriar a Terra adicionando pequenas partículas reflexivas à atmosfera superior, aumentando a cobertura de nuvens reflexivas na atmosfera inferior ou diminuindo as nuvens de alta altitude que podem absorver calor.

Embora tais estratégias tenham o potencial de reduzir as temperaturas globais, elas também podem apresentar uma série de consequências desconhecidas ou negativas.

Este relatório conclui que é necessário um investimento estratégico em pesquisa para melhorar a compreensão dos formuladores de políticas sobre as opções de resposta ao clima.

Os Estados Unidos devem desenvolver um programa de pesquisa transdisciplinar, em colaboração com outras nações, para avançar a compreensão da viabilidade e eficácia técnica da geoengenharia solar, possíveis impactos na sociedade e no meio ambiente, e dimensões sociais, como percepções públicas, dinâmica política e econômica e ética e considerações de equidade.

O programa deve operar sob uma governança de pesquisa robusta que inclua elementos como um código de conduta de pesquisa, um registro público para pesquisas, sistemas de permissão para experimentos ao ar livre, orientação sobre propriedade intelectual e processos inclusivos de participação pública e de partes interessadas.

“A geoengenharia solar não é um substituto para a descarbonização. Ainda assim, a tecnologia para refletir a luz solar merece um financiamento substancial e deve ser pesquisada o mais rápida e eficazmente possível”. (Chris Field, da Stanford University e chefe do comitê que produziu o relatório)

O relatório reconhece os riscos que tornaram a geoengenharia uma das questões mais controversas da política climática.

Esses riscos incluem perturbar os padrões climáticos regionais de maneiras potencialmente devastadoras, por exemplo, mudando o comportamento das monções no Sul da Ásia; relaxar a pressão pública para reduzir as emissões de gases de efeito estufa; e até mesmo criando um “risco inaceitável de aquecimento catastroficamente rápido” se os governos começassem a refletir a luz do sol por um período de tempo e depois parassem.

E eventuais erros de calibragem, que possam, por exemplo, transformar climas tropicais em temperados?

(https://www.nap.edu/catalog/25762/reflecting-sunlight-recommendations-for-solar-geoengineering-research-and-research-governance?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=26032021)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: