Tábua de Esmeralda

(Hermes Trismegisto, por D. Stolcius von Stolcenbeerg, 1624)

“A coisa mais bonita que podemos experimentar é o misterioso.

Ele é a fonte de toda ciência e arte verdadeiras.

Aquele para quem a emoção é uma estranha, que não consegue mais se maravilhar por um momento e se envolver com o fascínio, é como o morto; os seus olhos estão fechados.” (Einstein)

A Tábua de Esmeralda, atribuída a Hermes Trismegisto, é cercada de lendas. Ela inspirou o hermetismo e o esoterismo, mas também a alguns cientistas, como Newton.

Nunca foi encontrada uma versão da Tábua escrita na Antiguidade, embora haja uma medieval.

Por sincretismo, Hermes é associado ao deus egípcio Thoth. Este, filho do Demiurgo, teria encarnado e vindo à Terra como Hermes. A Tábua de Esmeralda lembra as duas tábuas de pedra de Moisés.

“Já no século II, o apologista cristão Lactâncio considerara Hermes Trismegisto um sábio divinamente inspirado, e interpretara algumas profecias herméticas vendo o seu cumprimento no nascimento de Jesus Cristo”, diz Mircea Eliade.

Diz-se, também, que foi Tertuliano – cristão a quem se atribui a frase “Creio porque é um absurdo” – o primeiro a atribuir o epíteto “Trismegistus” (“três vezes grande”) a Hermes.

Esse apelido (“três vezes grande”) também era atribuído ao deus Thoth no antigo Egito.

Santo Agostinho menciona Hermes em A Cidade de Deus:

“Realmente, a respeito do único e verdadeiro Deus construtor do mundo, muitas coisas Hermes Trismegisto diz que correspondem à verdade; e não compreendo como é que tal cegueira do coração o leva a afirmar que os homens estão sujeitos aos deuses que (é ele que o confessa) pelos homens foram feitos, e a deplorar a supressão futura desta sujeição — como se houvesse alguma coisa mais deplorável para o homem do que ser dominado pelas suas próprias ficções.

Porque a verdade é que é mais fácil a um homem deixar de ser homem, adorando como deuses as obras das suas mãos, do que às suas obras, tornarem-se deuses pelo culto que um homem lhes presta.

Há, ainda, um texto hindu que diz que Hermes e Buda eram a mesma pessoa. Há muitas especulações sobre Hermes – se é que existiu.

A Tábua trata, entre outras coisas, da correspondência entre o macrocosmo e o microcosmo.

TÁBUA DE ESMERALDA (Século XII, tradução de Fábio R. Araujo)

1. É verdade, sem mentira, certo e verdadeiríssimo:

2. O que está em baixo corresponde ao que está em cima e o que está em cima corresponde ao que está em baixo, realizando o milagre da Unidade.

3. E todas as coisas vêm dessa Unidade, através da Unidade e todas as coisas seguem essa Unidade da mesma forma.

4. O se Pai é o sol. A sua mãe é a lua. O vento é levado na sua barriga. A terra o nutre.

5. O pai de todos os segredos de todo o mundo está aqui.

6. A sua virtude é íntegra, se ela for transformada em terra.

7. Separe a terra do fogo, o mole do duro, suavemente com grande habilidade.

8. A terra sobe ao céu e desce novamente à terra e recebe força de cima e de baixo.

9. Assim você terá a glória de todo o mundo.

10. E todas as trevas fugirão de você.

11. Este é o maior poder de todos: pois ele supera tudo e penetra em tudo sólido.

12. Assim o mundo foi criado.

13. Disso ocorrerão coisas incríveis porque este é o modo.

14. Por isso sou chamado Hermes Trismegisto, tenho três partes da filosofia do mundo todo.

15. Assim concluo a explicação sobre a operação do Sol.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: