“teus braços foram feitos/ para abraçar horizontes” (poesias de Mia Couto)

Novo romance de Mia Couto é uma homenagem à cidade da Beira, onde nasceu -  Portugal Digital
(Mia Couto)

IDADES

No início,

eu queria um instante.

A flor.

Depois,

nem a eternidade me bastava.

E desejava a vertigem

do incêndio partilhado.

O fruto.

Agora,

quero apenas

o que havia antes de haver vida.

A semente.

DANOS E ENGANOS

Aquele que acredita ter visto o mundo,

não aprendeu a escutar-se no vento.

Aquele que se deitou na terra,

vestiu sonhos como se fossem vidas

e tudo o mais fossem regressos.

Mas aquele que tocou o fruto

provou a inicial doçura do tempo.

E quando tombou

de si mesmo se fez semente.

VATICÍNIO DA MULHER NA DESPEDIDA

Agora que vou partir

quero deixar o amor,

este amor que não me deixa

nem partir nem amar.

Quero deixar-te este amor

para teus amores,

essas outras mulheres

que, por mim, não terás que recusar.

Não me verás chorar:

limpo a lágrima à última palavra.

E saberás

que não te amei a ti,

mas, em ti, a vida inteira,

maior que o sonho de a viver.

Digo-te, agora que vou:

amar não basta

e os amores são sempre poucos.

Talvez o amor não saiba amar.

Talvez o amor

seja um aprendiz

de esperas e ausências.

Não me serás fiel, eu sei.

Mas não haverá traição.

Eu serei todas as mulheres

que o teu leito encantar.

E tu não serás nunca

o homem de ninguém.

Príncipe, te sonharás.

Mas não mais terás princípio.

PERCURSO

Viajaste

sob árvores sem sombra.

Pisaste

a carne da pedra,

rasgaste

o fio da água.

E aprendeste:

o teu gesto

não é destinado a ter dimensão.

Agora, sabes:

teus braços foram feitos

para abraçar horizontes.

És maior que o voo do sono.

E voltas a ser nada

quando infinito te pensas.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em ““teus braços foram feitos/ para abraçar horizontes” (poesias de Mia Couto)

  1. Aqui se divide em 4 poemas liricos e profundos. Primeiro a flor, o fruto e a semente. Extremamente satisfeito com o amor da amada onde o encanto do amor se completa o ciclo. Segundo , o desencato , terceiro , a partida mas nutre um profundo amor pela amada, tanto é que cita “nao serás de mais ninguém ” quarto, arrependido culpa a amada pela partida e se culpa pelos seus desatinos da juventude no primeira parte. Mas reconhece que os braços dela foram feitos para abraçar horizontes. E vai-se . Esse é o retrato da imaturidade do amante. ( nunca confunda o sentimento do
    amante, ou amantes com o sentimento do poeta).
    Poesia de 4 episódios extremamente profunda para uma poetisa falar em um pequeno texto. Porém, essa é a razão da poesia ela dá asas aos leitores. Não existe interpretação para poesia. O poeta dá ao leitor o privilégio de criar asas e voar no seu tempo. Razão porque poesias não envelhecem. Ela é eternizada em cada tempo .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: