Derrota não é o fim; pode ser um degrau para o objetivo

Miller circa 1870-1880
(Joaquin Miller, 1837-1913)

Joaquin Miller era o pseudônimo de Cincinatus Heine Miller, um poeta americano.

Quando jovem, ele se mudou para o norte da Califórnia durante os anos da Corrida do Ouro e teve uma variedade de aventuras, incluindo passar um ano morando em uma vila nativa americana e ser ferido em uma batalha contra os nativos americanos.

Uma vida pouco monótona: ocupou-se como cozinheiro de campo de mineração, advogado, juiz, redator de jornal, cavaleiro de diligências e ladrão de cavalos. Era conhecido por sua desonestidade e por ser mulherengo.

Muito tentou; pouco conseguiu; mas era sempre esperançoso.

Napoleon Hill inspirou-se nele para falar sobre Fracasso, na sua obra “A Lei do Triunfo”:

“A derrota é uma força destruidora apenas quando é aceita como um fracasso. Porém, quando a aceitamos como uma lição necessária, é sempre uma bênção.

Por isso, é útil ter inimigos. Eles descobrem os meus defeitos e os apontam, enquanto que os meus amigos, mesmo conhecendo as minhas fraquezas, nada me dizem sobre elas.”

Foi chamado de “Poeta das Sierras” e “Byron das Montanhas Rochosas”.

“Em homens que os homens condenam como doentios

Eu ainda encontro muita bondade.

Em homens que os homens declaram divinos

Eu encontro tanto pecado e borrão.

Não me atrevo a traçar uma linha

Entre os dois, onde Deus não fez.”

“‘Todos honram o que conquista um prêmio’,

É o que o mundo proclama há milhares de anos;

Mas ao que tenta e que fracassa e morre,

Honro e glorio com lágrimas.

Gloriemos e honremos com piedosas lágrimas

Os que fracassam em feito sublime;

Suas almas estão na vanguarda dos anos,

Eles nasceram com o Tempo, ou o precederam.

Grande é o herói que conquistou um nome;

Porém maior, muitas vezes maior,

É o ser pálido e triste que morre no opróbrio,

E deixa a Deus completar sua ideia sublime.

‘Bravo é o homem que a espada desembainha

E virtuoso aquele que do vinho se abstém’;

Mas o que fracassa e prossegue lutando,

Este sim, é que é o meu irmão gêmeo.

Suas últimas palavras foram registradas como “Leve-me embora; leve-me embora!”

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: