As Verdades que são ditas

Donald Davidson, teve um papel marcante na filosofia contemporânea
(Donald Davidson)

O lógico polonês Alfred Tarski afirmava que “a verdade é uma propriedade das sentenças”.

Como lógico, se debruçou sobre o “paradoxo mentiroso“, aquele em que um mentiroso – um político conhecido, por exemplo – afirma “Eu estou mentindo agora” vale tanto quanto “Eu estou falando a verdade agora”: ambas são falsas.

Curiosidade à parte, para Donald Davidson (1917-2003) , a teoria da verdade de Tarski pode satisfazer os critérios de uma teoria do significado para linguagens naturais, com alguns ajustes.

Ou seja, o reconhecimento de que o valor de verdade das sentenças varia conforme:

  • o momento em que são proferidas,
  • o falante e,
  • a audiência.

Não se trata, portanto, de construir uma teoria da verdade para sentenças, mas sim para proferimentos e atos-de-fala envolvendo o falante e o contexto dos seus proferimentos.

Davidson defendia (assim como Richard Rorty) que o mundo existe independentemente de nós, mas as nossas descrições do mundo não são independentes de nós. O mundo não é verdadeiro ou falso, somente as “descrições do mundo” podem ser verdadeiras ou falsas.

Para ambos, se um pragmático afirma que a verdade não está dada, que ela não é alguma coisa que possamos encontrar aí no mundo, significa simplesmente dizer que só há verdade onde existem frases e que as frases são componentes das línguas criadas pelos seres humanos.

A verdade, como as frases, não pode existir independentemente da experiência humana.

“Segundo Rorty, a história das ideias, das ciências, dos sistemas jurídicos e da arte descreve não um progresso do espírito em busca de uma verdade definitiva ou uma compreensão crescente de como as coisas realmente são, mas – apenas – traça um percurso de “metáforas” sobre o que é a natureza, o bem, nós mesmos, o real, metáforas que expressam nossa contingência.” (Maria Virgínia Machado Dazzani)

“Abandonar a ideia da linguagem como representação (…) equivaleria a des-divinizar o mundo.

Somente se o fizermos poderemos aceitar em sua plenitude a tese (…) de que, já que a verdade é uma propriedade das frases, já que a existência das frases depende de vocabulários e já que os vocabulários são feitos por seres humanos, o mesmo se dá com as verdades.” (Rorty)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: