Ecocídio

Raoni Metuktire, leader of the Kayapo people
(Raoni Metuktire, líder do povo Kayapó, conhecido por sua luta pela preservação da floresta amazônica e da cultura indígena. Fotografia: Nicolas Tucat)

O cacique kayapó Raoni e Almir Suruí apresentaram denúncia formal contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional, acusando-o de cometer crimes contra a humanidade.

Muitos rirão, por não levarem a sério nossos índios, por os verem como entraves ao ‘desenvolvimento nacional’.

Mas, sendo ele acusado em Haia por crimes contra a humanidade; um dia será julgado.

Esta se soma a outras acusações, como a referente à “omissão” criminosa durante a pandemia da Covid-19, como a apresentada em abril de 2020, pela Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, que denunciou Bolsonaro por crimes contra a humanidade por sua condução durante a pandemia.

Nos dois anos desse governo, o desmatamento aumentou quase 50% e atingiu seu nível mais alto desde 2008. Invasões de territórios indígenas aumentaram 135% em 2019, e pelo menos 18 pessoas foram assassinadas em conflitos de terra no ano passado.

Apesar disso, as multas por crimes ambientais caíram 42% na bacia do Amazonas em 2019, e o governo federal cortou o orçamento para fiscalização em 27,4% este ano.

As acusações atuais são para que se investigue o presidente pelo desmantelamento de políticas ambientais e violações de direitos indígenas: ecocídio (destruição do meio ambiente em nível que compromete a vida humana).

Em setembro do ano passado, Raoni já havia advertido: “Bolsonaro é mentiroso. É doido”.

Eis um trecho do pedido de investigação:

“Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil e tomou posse em 1º de janeiro de 2019. Durante sua campanha, ele se comprometeu a acabar com os crimes ambientais e a limitar os direitos dos povos indígenas. Desde sua inauguração, a destruição da floresta amazônica acelerou-se a um ritmo sem precedentes: o desmatamento aumentou 34,5% em um ano , a maior taxa de assassinatos de líderes indígenas nos últimos onze anos, o colapso e as ameaças das agências ambientais… O histórico do primeiro ano deste governo é sombrio.

Esta situação, a mais dramática dos últimos dez anos, é um resultado direto da política estatal desenvolvida pelo governo de Jair Bolsonaro. As novas medidas e políticas do governo visam remover todos os obstáculos para saquear a riqueza da Amazônia.


Documentos revelaram que o presidente tem interesse em destruir a floresta amazônica a fim de realizar seus planos. A destruição da Amazônia tem o único objetivo de produzir benefícios econômicos .

Esta política levou a uma escalada de violência contra as comunidades indígenas na Amazônia, criminalidade contra ativistas ambientais e atos de destruição deliberada da floresta tropical amazônica, como demonstrou o “Dia do Fogo”.

Este governo age com total impunidade.
Entretanto, esses fatos constituem uma violação dos direitos dos povos indígenas que constituem crimes contra a humanidade, que são da competência do Tribunal Penal Internacional, do qual o Estado do Brasil é parte. (…)”

A referência sobre “acabar com os crimes ambientais” significa ignorá-los, não a reduzi-los.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “Ecocídio

Deixe uma resposta para magicamistura Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: