Viajar, no tempo

(Kip Thorne)

Resolvi rever o filme Interestelar (2014), de Christopher Nolan, baseado nos trabalhos do físico teórico Kip Thorne.

Num futuro próximo, após a humanidade avançar de forma não retroativa no projeto de deixar a Terra inabitável, a saída aparece como a ‘colonização’ de outros planetas.

Como, aliás, como já alertava Ray Bradbury nas suas Crônicas Marcianas, sobre como a humanidade destrói seu habitat natural e se obriga a buscar novos lares por meio da expansão espacial.

“Os homens da Terra têm talento para acabar com coisas grandes e belas.” (Bradbury)

A propósito, Ray Bradbury e Isaac Asimov têm seus centenários comemorados neste ano que finda.

O filme trata disso. E se socorre das ideias de Einstein sobre relatividade, a existência de outras dimensões e da possibilidade de se viajar longas distâncias através de atalhos (wormholes) capazes de mudar o espaço-tempo.

Ideias como a de que um buraco negro possa retardar a passagem de tempo: uma hora próximo ao buraco negro equivalendo a dezenas de anos para um observador distante.

Entretanto, as viagens no tempo tem seus paradoxos: uma pessoa que viaja para o passado, por exemplo, pode alterá-lo e alterar o presente? Poderia ajudar Henry Tandey e não ter poupado Hitler, na Primeira Guerra ?

(Henry Tandey)

Segundo Igor Novikov, se um evento pode originar um paradoxo ou causar qualquer alteração no passado que provoque uma inconsistência no universo, a probabilidade de esse evento acontecer é nula.

“As leis da física não permitem o surgimento de curvas de tempo fechadas.” (Hawking)

Significa: “a própria natureza não permitiria que algo voltasse a um ponto do passado e continuasse se movendo até chegar novamente ao ponto de partida (formando uma curva fechada).” (Lucas Mascarenhas de Miranda)

Germain Tobar e Fabio Costa, matemáticos, apresentaram recentemente uma solução que remove os paradoxos da viagem no tempo (revista Classical and Quantum Gravity): você poderia mudar o passado, mas o universo se autoajustaria e o futuro não seria afetado.

O que acho? Além da minha compreensão. Fico com meu precário presente e horizontes.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: