O budismo e a visão ambiental

(Uma voluntária de 77 anos trabalhando em um centro de reciclagem administrado por uma organização budista sem fins lucrativos em Taipei, Taiwan. Foto de Chris Stowers)

“A educação tem a ver com o processo do viver, não com a preparação para uma vida futura.” (John Dewey)

O budismo não apresenta “verdades”, ao contrário de tantas religiões. Oferece um “veículo” para a “continuidade”, considerando que é impossível que alguma coisa acabe; ela muda, sempre. Nada é estável, tudo é impermanente e está em constante mudança.

O budismo ‘mahayana‘, uma das duas tradições do budismo, significa “grande veículo”. Buda não teria nenhuma ‘verdade’ a revelar, mas sim um ‘veículo’, um meio, que é descartado após se ter alcançado o objetivo.

Assim, um ‘bodhisattva‘ (um ser que está “em direção à iluminação”), por mais próximo que esteja de alcançar a iluminação completa, se mantém entre seres vivos sofredores, a fim de conduzi-los à salvação.

Esse processo não se dá através do ‘discurso’, das palavras, da linguagem, da teoria, dos conceitos. O que é dito brilha pelo não dito, como na natureza.

“Uma transmissão especial fora dos escritos

independente de palavras e caracteres:

mostrar o coração do ser humano imediatamente,

– ver a própria natureza e se tornar Buda.” (Heinrich Dumoulin)

O que isso tem a ver com a consciência ecológica? Muito. O budismo desperta o respeito pela natureza e por todas as formas de vida. O ser humano e o ambiente são interdependentes.

Em Taiwan, o budismo está sendo usado para conscientizar crianças sobre o meio ambiente. Nalgumas escolas, usam-se figuras como bodhisattvas para ensinar sobre o ambientalismo. Ou, histórias sobre plantas e animais para ensinar as crianças sobre coisas como o ciclo de vida do carvão e relações simbióticas entre animais.

A ideia é ser um budista completo, conhecendo e respeitando o meio ambiente.

Contam ‘histórias’ que levam as crianças a olhar para o mundo da perspectiva de outros seres vivos.

Há um esforço no sentido de mudar a forma como elas pensam sobre o mundo e suas próprias ações. Isso se liga aos ensinamentos budistas de carma e reencarnação, o que significa que toda ação intencional tem uma consequência. Pode-se renascer como um inseto ou animal em extinção. É importante que entendam como todos os elementos do universo estão interconectados.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: