O tempo e suas perspectivas

3 Poemas de Maria Rita Kehl – Revista Acrobata
(Maria Rita Kehl)

Maria Rita Kehl é psicanalista, crítica literária, jornalista, escritora e poetisa. Tem 69 anos.

Imprevisões do tempo (1980)

“Eu era muito velha.

Aos quinze anos podia jurar

que as noites de sábado foram feitas para se pintar os olhos

e ter um namorado.

Aos dezoito a maior batalha

consistia em encher a semana de responsabilidades

e então me sentir vivendo.

Com vinte descobri

que a idade própria para ser teenager se acabava

Eu não tive adolescência.

Também não fui debutante

não dancei valsa de formatura

fiz vestibular e todo mundo

apostava em meu futuro

como eu.

Não sei com foi que aconteceu

mas aos vinte e três anos a vida estava mais divertida

do que deveria

aos vinte sete está muito melhor e assim

confio que aos trinta será a maior bandalheira

e daí prá frente benza deus.

Quando disseram: essa menina vai longe

não imaginei que podiam dizer:

onde é que você vai parar?

porque era muito velha

e que trabalho me deu esse tempo todo

que luta que farra que sofrimento

crescer

e me desvencilhar do peso enorme

das minhas tenras idades!”

Recurso

“O método faz milagres.
Passar no quarto das crianças antes de deitar
só matar os insetos comprovadamente nocivos
sair lá fora no escuro, cinco minutos na primeira noite,
dez na segunda, até conseguir no mínimo uma hora de contemplação
sem terror.

O método tece uma teia ——
horários —— rotas de ônibus —— receitas ——
telefonemas na 6a. ——
caderninhos ——

quando a trama é bem firme e cada gesto idiota adquire sentidos surpreendentes
imprescindíveis depois de algum tempo
capazes de sustentar uma existência inteira.”

Filha

A morte não chega toda de uma vez.

Enquanto isso
te existo
corpo emprestado a teu nome
palavra aberta ao dizer.

Te faço habitar meu gesto
para alcançar o que terias sido

e no avesso do tempo
eu te concebo
eu incendeio o nada à tua frente
eu inauguro o que foste
antes de mim.

Rascunho

no último dia
alguma coisa terá sido escrita
a contrapelo
sobre o que não foi

o amor não passa a limpo
não assina nada

vai espalhando garranchos
pela página sem margem

depois
não fecha o caderno
as folhas ficam se descabelando ao vento.

o amor não liga.

ninguém vai ler.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “O tempo e suas perspectivas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: