Testemunha da beleza e da destruição

Fotógrafo Araquém Alcântara ministra workshop no AM | Entretenimento | A  Crítica | Amazônia - Amazonas - Manaus
(Araquém Alcântara)
Conheça o brasileiro que se especializou em fotografar onças-pintadas - UOL  Entretenimento

Araquém Alcântara está há 50 anos fotografando a natureza. São 55 livros já publicados e mais um para este ano. O mais conhecido é ‘TerraBrasil‘, de 1998. Suas fotos estão nos principais museus do mundo. Sua convivência com as florestas reforçou seu respeito pela exuberância da vida.

Mas, a devastação de nossos biomas é uma praga; antiga: um dos primeiros atos dos portugueses, quando chegaram por aqui, foi abater uma árvore para montar a cruz da primeira missa. Não se parou mais.

Quando ele começou a fotografar, nos anos 1970, a Amazônia só tinha 2% de sua cobertura original destruída, em 470 anos. Hoje, 20% dela já não existe.

“O fotógrafo de natureza enfrenta toda sorte de adversidade. O perrengue todo. A solidão da mata, bichos perigosos, condições climáticas. Tem que estudar a região, a biologia e os hábitos dos animais, ter um guia. Se não fossem os guias e os mais velhos, que esse governo está querendo matar, eu não teria 55 livros.

… o bicho não pode sentir seu cheiro, não pode perceber seu movimento, não pode olhar nos seus olhos. Você tem que ficar invisível.” (Araquém Alcântara)

x#10yearschallenge-amazonia-fotos-araquem-alcantara-conexaoplaneta -  Conexão Planeta
(Antes e depois da destruição)
Tamanduá cego fugindo de Amazônia em chamas comove o mundo
(Tamanduá cego, fugindo do fogo)

“O verdadeiro fotógrafo não vê apenas uma árvore, ele observa o espaço entre as folhagens. Ele conduz o espectador com sua composição, seu enquadramento, seu volume, suas linhas. Ele contempla para fazer o grande desabafo que é o clique.

E o fotógrafo de natureza, além de ter o compromisso de ser defensor das belezas que vê, vai a lugares em que poucos vão pisar. Então ele tem que ser humanista, tem que lutar pela integridade desses lugares. Vejo as pessoas reparando mais nisso, com o genocídio que está em curso.” (A.A.)

“O homem é um fazedor de desertos.” (Euclides da Cunha)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: