“Você gostaria que seu filho se tornasse um professor?” (Andreas Schleicher)

Não tenho dados para afirmar qual seria a maioria das respostas, mas posso opinar. Acho que poucos desejariam que houvessem professores na família. Há países, entretanto, em que professor é mais respeitável do que muitas outras profissões. E os melhores a preferem. A Coreia do Sul, por exemplo, onde os professores são tratados com grande respeito.

A TED abaixo é de 2013, mas como já a vi várias vezes, considero que vale divulgá-la. Permanece atual.

Andreas Schleicher é um cientista alemão junto à OCDE que ajudou a criar o teste Pisa (Programme for International Student Assessment – Programa Internacional de Avaliação de Alunos). O teste é aplicado a estudantes na faixa dos quinze anos de todo o mundo e seu objetivo é medir competências e habilidades e verificar como as escolas de cada país estão preparando seus jovens.

Andreas teve como mentor Thomas Neville Postlethwaite, um cientista britânico, pioneiro no estudo acerca do que sabem as crianças.

No último Pisa, 2018, o Brasil teve novamente um dos 10 piores desempenhos do mundo em matemática. Em leitura, ficamos no 57º lugar. Não temos avançado; estamos estagnados. E, as perspectivas não são boas.

O teste objetiva diagnosticar a capacidade dos estudantes de não apenas reproduzir o que aprenderam na escola, mas também aplicar o conhecimento de forma criativa, interdisciplinar e prática, permitindo-os efetivamente transformar seu entorno.

Também é uma maneira de avaliar o investimento financeiro em educação e o retorno que este proporciona em termos de qualidade. 

Resultados do Brasil no Pisa na última década indicam tendência de estagnação, diz OCDE — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Segundo Andreas, o foco da educação deveria ser a preparação dos jovens para as mudanças. O tempo que as pessoas passam na escola ou a quantidade de diplomas que conseguiram nem sempre são as melhores maneiras de se avaliar o que elas, de fato, podem fazer. É só ver a quantidade de pessoas graduadas e desempregadas, enquanto que empregadores não conseguem contratar profissionais com as habilidades de que precisam.

“… aprendizagem não é um lugar, mas uma atividade. O desafio é possibilitar o conhecimento autogerado” (Andreas Schleicher)

A aprendizagem é um processo que pode ser estimulante se for instigante e provocador.

“… vi alunos do quinto ano implorando aos professores que os deixassem ir até a lousa para resolver um problema de divisão. Os que conseguiam chegar à resposta certa socavam o ar com os punhos cerrados.

… vi meninos e meninas morrendo de tédio; mentes jovens ávidas para que alguma coisa ‘interessante’ acontecesse; à busca de alguma distração de modo a salvá-las de mais uma hora de vazio e inutilidade.” (Amanda Ripley)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: