Os quatro maiores judeus

Chaim Weizmann and Rabbi Stephen Wise, New York, USA, 1940s | BH Open  Databases
(Chaim Weizmann e Stephen Wise, New York, anos 1940)

Stephen S. Wise contou a seguinte história, a respeito de si próprio.

“Estava em Viena e visitou Sigmund Freud. Durante a conversa, Freud perguntou a Wise, a quem ele considerava serem os quatro maiores judeus, no mundo.

Bem, respondeu Wise, consideraria ao senhor e a Einstein como os dois primeiros, Brandeis e, penso, Weizmann, como os outros dois.

E ao senhor mesmo? – perguntou Freud.

– Oh-não-não-não-não! – respondeu Wise, gesticulando muito enfaticamente.

– Parece-me que o senhor protesta demais, observou Freud.

– Como vocês vêem, disse o dr. Wise: ao contar a história, fui psicanalisado gratuitamente.” (Fonte: Os Tesouros do Folclore Judaico)

Quem foi Stephen Samuel Wise?

Foi um importante líder judeu dos Estados Unidos no período de 1933-1945.

Nascido em Budapeste em 1874, emigrou para Nova York quando criança. Após sua ordenação como rabino reformista, ele liderou uma congregação em Portland, Oregon, onde suas convicções políticas liberais o inspiraram a lutar pelas leis contra o trabalho infantil e pelas demandas dos trabalhadores em greve.

Orador carismático, ele se tornou um campeão da justiça social e dos direitos civis e foi um dos fundadores da Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor. Mais tarde, ele se tornou um forte defensor e defensor do “New Deal” de Franklin Delano Roosevelt.

Wise se tornou um sionista, comprometido com o estabelecimento de um estado judeu. Ele atribuiu isso ao seu primeiro encontro com Theodor Herzl, o fundador do sionismo moderno, em 1898.

Em 1914, ele serviu como deputado de Louis Brandeis quando este se tornou o chefe do movimento sionista americano. Ambos foram fundamentais para obter o apoio do presidente Woodrow Wilson para a Declaração Balfour de 1917, que comprometeu a Grã-Bretanha a facilitar o estabelecimento de um lar nacional judeu na Palestina.

Pouco depois de Hitler chegar ao poder em 1933, Wise se tornou um oponente declarado da Alemanha nazista e tentou reunir a opinião pública norte-americana contra ela. Organizou protestos antinazistas em massa em Nova York e pediu o fim do antissemitismo do Terceiro Reich. Ele se juntou a um movimento para boicotar produtos alemães.

Amigo e apoiador de Roosevelt, Wise usou sua influência para instar Roosevelt a se opor ativamente ao regime de Hitler. Ele também tentou ganhar o apoio de Roosevelt para a emigração judaica irrestrita para a Palestina e a admissão de mais refugiados judeus nos Estados Unidos.

Roosevelt, em vários discursos de campanha falava da Palestina como pátria judaica, em oposição à intenção britânica de conter a imigração judaica.

Wise também pode ter influenciado Roosevelt a pedir ao Departamento de Estado que diminuísse os requisitos de visto para judeus alemães que buscavam entrada nos Estados Unidos, o que levou à admissão de um número maior de refugiados judeus de 1936 a 1939.

Suas tentativas de unificar a comunidade judaica americana falharam, já que os judeus conservadores se opuseram à sua militância anti-alemã, ao seu sionismo, ao seu liberalismo e ao seu apoio ao “New Deal”.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: