“Fides quaerens intellectum” (fé buscando entendimento)

Etienne Gilson - Santo Tomás de Aquino
(Étienne Gilson)

O francês Étienne Gilson era (morreu em 1978) especialista na obra de Tomás de Aquino.

A expressão “fé buscando entendimento” (fides quaerens intellectum), segundo ele, mostra a motivação dos cristãos ao aproximar-se da filosofia grega e apropriar-se dela, na tentativa de reconciliar fé e razão. Sem a influência da filosofia, o cristianismo jamais seria o que é.

Mas, a filosofia medieval também teria sido influenciada pelas ideias cristãs. Mão dupla, como tudo que interage. Por isso, reacionários evitam interagir.

“Os filósofos antigos (naturalmente) refletiam muito mais do que liam. Por isso se ligavam tão estreitamente ao concreto.

A tipografia mudou isso. Nós lemos mais do que refletimos. Não temos filosofia, apenas comentários.” (Camus)

Gilson completa ao afirmar que “a idade dos filósofos que se ocupavam de filosofia foi sucedida pela dos professores de filosofia, que se ocupam dos filósofos.”

Para Heidegger, somente o grego e o alemão seriam línguas compatíveis com o filosofar. Caetano registrou isso, conformada e ironicamente. Claro que Heidegger simplesmente arrotava ao falar isso.

“Afirmo que é a atitude perante as coisas que nos permite ou não filosofar. Sem essa atitude jamais iremos filosofar. Se achamos que não podemos fazê-lo por conta própria, certamente não o faremos, falando grego, latim ou sânscrito. Filosofamos na medida em que, tendo uma certa atitude, pensamos como meros seres humanos, não por falarmos esta ou aquela língua.” (Gonçalo Palácios)

O que precisa ficar claro é que existe uma indústria de ‘comentários’, que não se trata, a rigor, de filosofar. Além disso, é necessário distinguir a ‘história da filosofia‘ e a ‘história das ideias’. A história das ideias examina o eixo social e histórico de condicionamento; a história da filosofia, por sua vez, focaliza o condicionamento argumentativo das teses de um autor. Não é o estilo, a linguagem, o tom, tampouco o número de obras lidas ou de autores estudados que determinam ou que definem quem é ou não um filósofo.

Pegando a deixa de Camus: atualmente, com a avalanche de ‘informação’

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: