A velhice traz sabedoria?

Drawing wisdom from the past and present
(Foto de Nicole Bengiveno)

Ao longo de um ano,  John Leland e Nicole Bengiveno (fotógrafa) acompanharam a vida de seis idosos em Nova York. Os idosos falaram inflexivelmente sobre morte e perda, mas também sobre amor e conexão, sobre realização e significado.

“Um paradoxo da velhice é que as pessoas mais velhas têm uma sensação maior de bem-estar do que as mais jovens – não porque são imensamente felizes, mas porque aceitam uma mistura de felicidade e tristeza em suas vidas e aproveitam essa mistura quando os eventos acontecem. Eles perdem menos tempo com raiva, estresse e preocupação. Como diz um deles, de 90 anos: ‘Quando você é jovem, o futuro está tão longe e você não sabe o que vai acontecer com você e o mundo. Então, quando você é jovem, tem mais preocupações do que os idosos. Mas não me preocupo agora.’

O que é sabedoria e como ela se dá na vida de cada um? Ela chega a todos?

Uma neuropsicóloga, Vivian Clayton, observou que a maioria das pessoas descritas como sábias tinha a tarefa de tomar decisões. Após pesquisas, concluiu que a sabedoria consiste de três componentes principais: cognição, reflexão e compaixão.

A função cognitiva se desacelera com a velhice, mas os mais velhos têm muito mais informações que as mais jovens e, a qualidade dessa informação é mais nuançada.

Para Monika Ardelt, segundo suas pesquisas, a satisfação no final da vida consiste em coisas como manter a saúde física e mental, fazer atividades voluntárias e ter relações positivas com os outros.

“A sabedoria é caracterizada por uma ‘redução do caráter autocentrado’.”

Erik Erikson compreendia o desenvolvimento humano como um processo contínuo, que não se encerra na adolescência, mas perpassa a vida adulta até a velhice e que não é resultado apenas de fatores biológicos, mas da articulação desses com fatores sociais e individuais, destacando a importância da cultura para o desenvolvimento saudável.

Usando o termo cunhado por Erikson, Daniel Goleman, afirma que a “geratividade” significa dar sem a necessidade de receber nada em troca.

Erikson desenvolveu uma teoria sobre o desenvolvimento humano, que incluía oito estágios, da infância à velhice. Quando o próprio Erikson e sua esposa, Joan, ficaram idosos, viu a necessidade de acrescentar um nono estágio no qual a sabedoria tem um papel crucial:

“Eles retratam uma velhice em que a pessoa tem suficiente convicção da própria completude a ponto de afastar o desespero que a desintegração física gradual pode acarretar”, disse Goleman.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

4 comentários em “A velhice traz sabedoria?

  1. Uma opinião pessoal, é como tal, baseada apenas em observação e conclusões próprias.
    Não vejo que a idade traz sabedoria,
    Conheço sábios de 30 e poucos anos e pessoas de 70 que não adquiriram a tal sabedoria.
    Excelente provocação meu Amigo e Mestre Dorgival.

    Curtir

  2. Pois é amigo Dorgival, no meu entender sabedoria não tem sentido quando associada apenas à idade cronológica e sim com o amadurecimento intelectual e moral.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: