Naturalmente, ninguém consegue ver a própria face

Usa-se o espelho, ou os outros como reflexo. Mesmo nos vendo no espelho, vemos mais o que queremos ver. Os que optam por “se ver” a partir do que dizem os outros, perdem sua visão original.

narciso: o homem farejador
(Narciso Por Caravaggio, 1596)

A extrema autoadmiração, narcisística, ensimesma, causa dor alheia e é suicida.

A completa rejeição a si, da mesma forma, é autodestrutiva.

O normal é aceitar-se como processo, no mosaico da vida.

Ninguém é completamente feio ou belo. Mesmo os incensados como “padrões de beleza” se torturam com ‘detalhes’ – às vezes imperceptíveis – que não admitem.

Mesmo os apedrejados como “ogros”, grotescos na aparência, têm aspectos sublimes, que percebidos, são apaixonantes.

A aparência, cartão de visitas, é importante – culturalmente -, mas é um mero conjunto de estereótipos que mais afasta do que agrega; é o argumento da superficialidade.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: