A inefetividade do Estado

Peter Drucker: Quem foi e qual sua importância para administração?

“A teoria conservadora do estado deve afirmar o estado, porque e na medida em que representa uma obrigação. Também deve, no entanto, impedir que o estado se torne a única obrigação, de se tornar o ‘estado total’. (…) E esse significado e objetivo, isto é, poder, é mau e desmoralizante, destrutivo, se não está vinculado a uma ordem divina e imutável, se não estiver vinculada ao plano de Deus para o mundo.”

Peter Drucker escreveu isso em 1933 (logo após Hitler tornar-se chanceler), aos 24 anos. Era uma provocação ao nascente nazismo, pois confrontava a teoria conservadora do Estado de Friedrich Julius Stahl com as ideias totalitárias do Nacional Socialismo. Stahl era um judeu convertido, assim como Drucker. O texto de Drucker foi queimado em praça pública. Era a senha para deixar a Alemanha.

História.

Drucker trouxe à pauta temas que se tornaram relevantes, como a inovação, a boa governança corporativa e consolidou os conceito modernos de corporação e gerenciamento.

Admirava a Embraer (“como foi possível um país em desenvolvimento criar do nada uma empresa de aviões?”).

Sobre o Brasil, afirmou: “Não concordo com a crença de que o Brasil fracassou”. Entretanto, completava, “o Brasil marca passo não por falta de poupança e investimento mas pela ausência de boa gestão pública.”

“… não existe país subdesenvolvido, existe país subadministrado.”

Senão, vejamos: aumentamos o gasto público 5% ao ano, acima da inflação desde 1997; bem mais do que o PIB! Resultado: serviços insuficientes e insatisfatórios e, dinheiro pelo ralo. Nisso somos bons, em gastar muito e mal.

Segundo Marcos Lisboa, “gastamos com educação, como fração do PIB, mais do que 89% dos países do mundo, mas nossos indicadores de aprendizado estão bem aquém do esperado. Gastamos com proteção social três vezes mais do que a média dos emergentes, mas o percentual de famílias na pobreza caiu menos do que nos países assemelhados.”

Agora, tecnicamente, não há espaço para mais crescimento. Como manteremos o mamute estatal?

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “A inefetividade do Estado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: