Desmoronamento

Somos os senhores do planeta. Mas, existiria um limite que nós, humanos, podemos administrar, pergunta David Christian. Tudo que é complexo é frágil; é super relacionado, interdependente, queira-se ou não.

“O destino de todas as espécies capazes de aprender coletivamente será talvez o de atingir um muro de complexidade, a partir do qual suas sociedades desmoronam?”

O universo é indiferente ao nosso destino.

Assumimos o papel de novos demiurgos como os que, no dizer de Platão, se sentem como o princípio organizador do universo (embora não tenham criado de fato a realidade) e, “modelam e organizam a matéria caótica preexistente através da imitação de modelos eternos e perfeitos que carregam”?

Nossas ações (e omissões) implicam em responsabilidade, apesar de muitos ignorarem esse desdobramento. Estamos ‘administrando’ uma biosfera inteira, inconsequentemente. O excesso, a volúpia no uso, a visão limitada à nossa curta existência, podem arruinar nossa biosfera. Faltam zelo, prudência e carinho pelo que nos permite viver – o entorno, o ambiente. E, não há lugar bom para nós numa biosfera radicalmente modificada. Somos complexos; nossa capacidade de resposta adaptativa não é rápida. Outros organismos – menos complexos – mais facilmente se adaptarão.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “Desmoronamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: