Fragilidade

Teu nome nas águas

tão fundas, tão grandes

Perde-se na espuma,

castelo de instantes.

No aço azul da noite

teu firme retrato

acorda entre nuvens

já desbaratado.

A sorte da pedra

é tornar-se areia.

Mas quem não soluça

pensando em teu rosto

reduzido a poeira …

(Cecília Meireles)

A consciência da nossa fragilidade nos fortalece. Vida, sopro e vendaval. A superfície pode esconder abismos.

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “Fragilidade

Deixe uma resposta para José Bernardo de Medeiros Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: