A natureza é o limite

“Diferentemente do passado, o homem terá de retornar à ideia de que sua existência é uma dádiva do Sol.” (Nicholas Georgescu-Roegen)

Georgescu-Roegen. Volto a falar sobre ele. Alguém precisa falar sobre esse visionário.

Numa época em que a força motriz, o discurso e os sonhos dos políticos eram centrados no crescimento econômico – desenfreado e inteiramente desconectado do ambiente -, ele teve a coragem para afirmar que, num determinado momento, os recursos naturais diriam “basta!”; chegariam a um ponto de saturação.

“A humanidade deve começar a se preparar para a estabilização das atividades econômicas”

Alertava: o conceito de “progresso” beira a insensatez. Foi xingado de “ecologista”, uma ofensa nos idos dos anos 1970, e uma acusação, hoje.

Depois, outros criaram coragem:

“Será que realmente entendemos todas as implicações do fato de que podem surgir graves incompatibilidades entre o sistema econômico e o sistema ecológico (e também o social), que ameacem o processo econômico, sua reprodução social e, portanto, a garantia constante de bem-estar e sobrevivência humana” (William Kapp, 1979)

“Ao alertar as pessoas a respeito dos perigos da mudança climática, você é chamado de santo. Ao explicar o que precisa ser feito para parar com isso, chamam-no de comunista.” (George Monbiot, 2007)

O planeta está cercado por problemas desafiadores criados por nós: desmatamento, destruição de habitats, erosão de solos, salinização, perda de fertilidade, desperdício d’água, perda de diversidade biológica, sobrecaça, sobrepesca, introdução de outras espécies sobre as nativas, poluição do ar e das águas, contaminação de solos, aquíferos e oceanos etc.

Ele reage.

“Se alguns insulares usando apenas pedras como ferramentas e seus próprios músculos como fonte de energia conseguiram destruir o seu ambiente e, assim, destruir a sua sociedade, o que farão bilhões de pessoas com instrumentos de metal e com a energia das máquinas?” (Jared Diamond)

(dss, 15 junho 2020)

Publicado por Dorgival Soares

Administrador de empresas, especializado em reestruturação e recuperação de negócios. Minha formação é centrada em finanças, mas atuo com foco nas pessoas.

Um comentário em “A natureza é o limite

  1. “Ao alertar as pessoas a respeito dos perigos da mudança climática, você é chamado de santo. Ao explicar o que precisa ser feito para parar com isso, chamam-no de comunista.”

    E agora há quem diga que a terra é plana!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: